Relacionamento = Certificado de Propriedade

blog relacionamento

Por Milan

Parece tão absurdo mas virou isso. É exatamente o que está acontecendo na prática com as coisas. Uma vez era o casamento, agora os relacionamentos em geral viram isso. Comecei a pensar sobre a questão quando teve uma amiga minha que veio me procurar para falar que estava saindo com uma pessoa. Eles estavam ficando e estava legal, tinha um contato emocional. De repente ela sentiu que estava afim do cara e disse para ele. Ele disse que estava afim de gastar aquilo, que queria transar mais e não queria ficar preso. Ela veio falar comigo sobre o que eu achava. Eu falei bem claro: “Qual o problema?”.

O que eu vejo dos relacionamentos é que quando as pessoas estabelecem um status já começa um monte de broncas. Acaba o sorriso. Ou tu conta uma piada ou não tem um sorriso espontâneo. Gente, eu sou super a favor do amor, do namorar. A gente precisa muito namorar. O relacionamento começou a virar um certificado de propriedade, como alguém é dono de mim e eu sou dono de alguém? Eu pertenço a alguém. E pra mim isso é um sentimento muito infantil. Uma criança precisa de um pai e de uma mãe, sem eles ela não sobrevive. Agora, um adulto não precisa pertencer a ninguém e não deve, isso só faz mal. Isso não faz bem para as relações. É só tu ver, quando tu estabelece que está em um relacionamento 50% da tesão vai embora na hora, no ato. E qual é a necessidade nisso? As pessoas inventam: “Ah, aprofundar.” Tu acha que aprofundar é morar junto? As pessoas ficam rabugentas pra caramba, isso é aprofundar? Outros dizem: “Transar só com a mesma pessoa aprofunda.” Aprofunda nada, eu conheço um monte de gente que está só com uma pessoa e tem fantasia de comer um monte de outras. E não dá quase nada para a relação e normalmente a parceira ou o parceiro estão insatisfeitos sexualmente. Tu chama aprofundar isso? Tu chama aprofundar essa tragédia grega? É muito cheio de preconceitos.

Foi o que falei para a minha amiga. Tu precisa dizer para a pessoa que tu está afim? Não. A pessoa está saindo contigo porque está afim. Parece que a gente quer obrigar a pessoa a ficar. Isso se chama propriedade. Tu é obrigado, tu é meu. Nas brigas em relacionamento as coisas que saem são absurdas, são ofensas estúpidas. As coisas que um fala para o outro são horríveis. E tu chama isso de amor? Tu fica acumulando um monte de merda. Não confiam no amor e então fazem esses contratos. Agora não é mais na igreja, é um contrato muitas vezes até espiritual. Aquela onda de me dedicar, me aprofundar, de não misturar as energias. Mentira. Baita mentira. Lorota grossa. Espiritualidade não tem nada a ver com repressão. Quem disse que é o oposto? “Ah, então vai virar putaria.” Mentira, putaria é relacionamento. Eu conheço um monte de gente assim. Eu atendia uma menina que vinha com todo esse discurso de relacionamento e o namorado dela transava com várias e mentia para ela. Várias. Não é uma pessoa que bateu. Uma pessoa reprimida fica com uma energia doente, a pessoa quer transar com um monte de gente. Olha, se tu estás em um relacionamento é perfeitamente normal que às vezes quando tu está amando alguém abra outro espaço para outra pessoa também, e aí? Isso é vida. Ou se não qual o fim?

Nem tudo está perdido

mafalda1

Por Milan

Sábado à noite, estávamos aqui na comunidade conversando com uma amiga nossa que é professora. Ela contou sobre um episódio no colégio onde trabalha. De repente viu um furdunço dos alunos, uma bagunça no banheiro. Depois foram para a sala sussurrando que uma das meninas tinha menstruado. Todos acanhados falando baixinho, com medo, vergonha. Essa professora questiona qual o problema da menstruação e eles respondem que é sujo e feio. Então ela explica que é algo natural, que não tem nada de errado, é o momento em que a menina está virando mulher – um momento sagrado. É uma transformação.

Os alunos ficaram impressionados. Começou a surgir uma curiosidade incrível, muitos questionamentos. Dentre estes, um aluno questiona: “Professora! A senhora já fez boquete?” Ela fica pasma, mas responde: “Sim, já fiz!”. O aluno insiste: “E a senhora gosta de fazer boquete?”. “Sim, gosto.” Ela responde. Eles ficaram tão empolgados que parecia gol do Grêmio no final da Copa Brasil. Era uma vibração, aí a gurizada choveu de perguntas. Eu fiquei muito impressionado, eu ri muito quando ela contou, imaginando a cena. Eu daria tudo na minha vida para poder estar nessa sala de aula e ver e ouvir tudo isso. Se pudesse ter um filme daquilo ia ser fantástico. Aí eu fiquei pensando profundamente sobre isso. Ninguém nunca vai falar sobre, imagina uma professora.

Todos adoraram e no dia seguinte chegaram a escrever coisas a respeito. Uma menina escreveu que antes achava que menstruação era doença, era dor, era problema, que agora vê como algo sagrado. Fiquei pensando quantas professoras dessas deveria ter pelo mundo. Que bonito. Imagina, toda a vida, eles disseram, nunca nenhum adulto havia falado sobre isso. E eu posso afirmar: Nunca nenhum adulto vai falar porque as pessoas morrem de vergonha. Aí uma pessoa que é mais satisfeita, mais preenchida com sua sexualidade não vai ficar constrangida por causa da situação. Mas ela fala, ela expressa porque ela sabe da qualidade do amor que tem nisso também. E gente, isso faz uma diferença incrível. Esses meninos e meninas jamais vão esquecer essa professora porque ela evitou um monte de bobagens, um monte de medos, um monte de besteira.

Depois continuaram falando sobre a ejaculação masculina, sobre o toque, de transar ou não. Fiquei observando e que coisa fantástica, que coragem. Mas essa coragem só tem quem viveu, quem vive o sexo como prazer, como alegria e como amor. Se tu não vive como amor, tu não vai ter essa coragem. Por isso é importante a gente viver isso e poupar nas crianças essa dor de cabeça, esse medo, essa tortura, essas dúvidas, essa distorção. Parabéns para uma pessoa que faz isso. Eu gostaria que muitas pessoas conseguissem ter essa satisfação sexual, esse amor e poder falar para as crianças de peito aberto algo de compreensão, não de exibicionismo, mas de compreensão.

Você já imaginou nessa idade receber essas informações? Ou até na idade que tu estás, uma mulher chegar e falar que gosta disso ou daquilo. Hoje em dia dois adultos que já estão a cinco anos juntos não tem a coragem de dizer o que gosta ou não. É uma diferença incrível. Isso é realmente educação, é educação de verdade. Porque isso não tem preço, isso não tem em livro. Essa informação direta, pessoal, rica. Assim é que a gente começa a transformar esse desespero sexual, essa pornografia sexual em algo bonito, corajoso e amoroso.

Eu gostaria que todos os adultos refletissem a respeito e pudessem ter um exemplo como o dessa professora que é algo muito fantástico. Eu, honestamente, como adulto daria tudo para estar olhando para a cara dessa gurizada, para estar olhando esse momento magnífico. É óbvio, vai ter os caretas que vão dizer: “Que horror!”. Mas os caretas já são caretas mesmo. São pessoas muito frustradas que nunca vão saber o que é o amor, o que é a sexualidade.

Salvem os adolescentes!

IMG_958755

Por Milan

Salvem os adolescentes! Esse é um grito, um apelo, uma súplica para os pais, amigos, irmãos e tios de adolescentes. É um absurdo a situação que se encontram. Eu tenho uma filha, Punya, que facilita um grupo de adolescentes no Namastê. Nos próximos dois meses (Junho e Julho) ela vai parar com o grupo porque estão vindo poucos adolescentes. O que é muito triste, pois é um trabalho rico, mas muito rico mesmo. Eu tenho um filho adolescente que vai e eu sei da importância desse trabalho. Olho para o meu filho e vejo alguns problemas, como não conseguir se expressar. Eu também não me coloco com ele e isso cria uma distância. Por quê? Porque nossos adolescentes são educados pela internet, por um Facebook podre. Gente, olha o Facebook e vê o que é. Os nossos filhos vivem no Facebook. Vivem nas redes sociais. Eu sei que para os pais gera certo alívio porque assim eles não estão incomodando, mas não estão incomodando agora, no futuro vão incomodar terrivelmente. No futuro vai ser uma tragédia, uma baita tragédia. Isso deixa a pessoa vazia, ansiosa. O Facebook tira todo o conteúdo emocional dos nossos adolescentes. Eles ficam simplesmente vazios, com um papinho frau. Parecem todos descolados em sexo. Mentira! É tudo um personagem. Eles têm acesso a informações muito distorcidas sobre sexualidade, informações distorcidas sobre o amor. Na real, eles estão em sofrimento e não tem com quem falar. Os pais não ouvem. Os pais não estão interessados. Estão interessados em deixar eles na Internet porque pelo menos não perturbam. Isso é uma postura que fomos assumindo devido ao nosso sistema doido. Só que são nossos filhos. Como vai ser depois?

Acho gozado porque todo mundo concorda que 80% dos adolescentes fumam maconha, mas menos o teu filho, óbvio! Só teu filho se salvou. Eles nunca vão falar, nunca vão dizer. A gurizada vai para a maconha porque não tem nenhuma saída, não tem nenhum contato social. O vício em maconha ou em uma rede social é um dano enorme para um adolescente. Eu gostaria que vocês olhassem desesperadamente para isso. Eu sei que o mundo está nos constrangendo com o tempo, a gente não arruma tempo para nada, não consegue tempo para fazer coisa alguma. Não consegue por causa desse ritmo louco e nós vamos inserir nossos filhos nesse ritmo louco também. É isso que queremos para eles? É isso que queremos para o sangue do nosso sangue que são nossos filhos? A única coisa que queremos é que não nos perturbem? Eles são calados, quietos, mas por trás eles têm um monte de questionamentos, um monte.

Você reclama que eles não sabem fazer nada, mas onde vão aprender? Em uma tela de computador tu não aprende absolutamente nada. É uma coisa que desvincula eles da realidade. Por isso hoje em dia computador é droga braba. Porque passam horas e horas com certo conforto dos pais porque ficam quietos, se acalmam. Isso é pior que dar antidepressivo para eles. Se você leu o livro do George Orwell, 1984, é isso que está acontecendo. E tu te importas com o teu filho? Te importa que ele seja algo melhor que você, mais evoluído? Ou você desistiu? Simplesmente desistiu porque desistiu da tua vida e da vida dele. Olha, a minha experiência no Namasteen, por exemplo, é muito clara, eles ficam muito mais questionadores, eles vão bronquear mais em casa, mas isso é gente viva, morto não tem problema. Tu queres criar o quê? Carneiros? Que sobem, descem e não questionam nada, não tem boca para nada. É isso que tu espera do teu filho? É isso que vai te satisfazer? Você está ali um morto-vivo e não quer que ele incomode? Claro que ele vai incomodar. Claro que ele vai entrar em conflito. Conflito com os pais. Você foi adolescente e não entrou em conflito? O que teu pai fez? Mandou tu calar a boca? E tu engoliu. E hoje tu adota o mesmo sistema de vida dos teus pais emocionalmente. Você quer enxergar isso? Você quer ser realmente um pai que no futuro seu filho só vai te procurar no dia dos pais, no natal ou no ano novo para te dar um presente e por obrigação. Quando, na real, ele está a fim de fazer outra coisa.

A maioria dos adolescentes são monossilábicos: “sim”, “não”, e abaixam a cabeça. Por que tu acha que é assim? Porque tem um monte de coisas por trás. Porque eles não confiam, não falam. Se tu quer te iludir, te ilude. Se tu queres criar teu filho nessa vida careta, então cria.  Cria como um protótipo para a sociedade. Cria ele para estudar para o vestibular, para ele conseguir fazer aquilo que tu não fez, ou para ser um grande engenheiro, com um grande salário, mas e aí? Com uma vida medíocre, uma vida pobre. Conheço muitos engenheiros que jogariam seu diploma fora para poder amar de novo, para poder transar com prazer, com alegria, com êxtase. Não sei se vocês conseguem compreender isto. Mas é algo muito importante, afinal de contas para onde vai isso? Olha, eu gostaria que ao menos, talvez tu ache o Namastê uma coisa muito grande, que aquele pessoal é demais. Não sei qual o conceito que tu tem, mas você nem se informa porque não quer se incomodar. Para que as pessoas não te questionem se estiver toda hora no celular, por exemplo. Isso é muito doente, isso é uma droga. Celular é droga, droga forte. Não é mais um meio de comunicação, é uma maneira de se chapar, se desconectar da vida, sair fora.  Se você quer saber, faz um teste se você é viciado ou não. Passa um dia sem celular. Vai te dar a sensação que o mundo vai cair, parece que você está pelado. Experimenta. Fica um dia sem. Você vai ter noção de quanto tempo tu gasta. Mas você não se importa. Depois quando estiver mais velho faz terapia. A gente faz.

Eu trabalho há trinta anos como terapeuta, trinta anos. Conheço todas essas histórias de adolescentes. Tu vai ficar perguntando o que eu quero de ti com isso. Não quero nada de ti. Eu só quero isso para os meus filhos. Eu sei, eles ficam mais questionadores. Às vezes o teu filho vai te questionar sobre o que tu reclama porque tu faz igual. E aí o que tu vai fazer? O cara não é mais um boca aberta que só fica engolindo coisa. Mas isso é bom, é saudável, isso é ser humano, ou tu quer ser o quê? Carneiro?  Eu tenho filhos que discutem comigo não sobre abóbora, mas sobre sexualidade, sobre dificuldades que está tendo com namorado, sobre ejaculação precoce, sobre dificuldade de aprofundar no coração. Esse tipo de discussão. É um privilégio ter isso, poder saber quem eles são. Será que você está interessado nisso ou você só quer que seu filho seja um robozinho? O Namastê é uma saída. E pra ti que não vai ao Namastê tem um seriado chamado Merlí, feito em Barcelona, da Netflix. Vê com teu filho. Ou vê tu primeiro se quiser fazer uma censura. Vê as questões colocadas para ver se não dá uma luz. É o que a gente precisa, o que os adolescentes precisam: uma luz. Uma luz para essa vida, uma luz para poder viver de uma maneira mais saudável, mais amorosa. É um grito de desespero, sim, é preciso salvar, ACORDA! A maioria dos adolescentes está absurdamente viciado nisso e eles mostram um personagem que não são. Como se estivessem resolvidos, mas não estão! Estão sofrendo e tem medo. É tudo uma conversa da boca para fora. Porque ninguém contata com eles. É como na internet. Olha aquilo, não está todo mundo bonito, todo mundo bem? Todo mundo é legal, né?  Tu sabe que é mentira. Ou tu acredita que é real? Alguém posta alguma coisa verdadeira sobre si? Alguma coisa de conteúdo? Não, é só bobagem. Ninguém posta a verdade sobre si, que tem dificuldade nisso ou naquilo. Tu não conhece a pessoa. Tu conhece a fachada que ela inventa. Ela inventa uma fachada e tenta ser aquilo, mas entra no buraco porque não consegue ser uma imagem que projeta de si mesmo. Só que ele não vê que essa imagem é falsa, de um mundo distorcido, que foi dado à eles. Profundamente há uma necessidade de que você acorde. Salvem nossos adolescentes! Isso é para hoje!

Vergonha é o que mais agrava os problemas sexuais

download

Por Milan

A vergonha impossibilita que você recoheça seu próprio problema. Na minha adolescência fazia pose de que sabia tudo, mas na verdade não sabia nada. Todos os outros guris também eram assim. Na realidade não sabíamos absolutamente nada. Se fossemos perguntar para alguém qualquer coisa a respeito de sexo a pessoa ia olhar com uma cara questionando nossa masculinidade. Por trás sempre estava isso: “Você não é homem?”. Na verdade nenhum daqueles adultos sabia qualquer coisa sobre sexualidade. E isso não acontecia só em Garibaldi, nas grotas. A mesma coisa é em Porto Alegre, Rio de Janeiro, quer mais? Em Nova York é a mesma coisa. Estive lá mês passado. É um analfabetismo sexual absurdo. Mas não se fala a respeito. Esse é o problema.

Provavelmente você já ficou muito ofendido por ter te chamado de analfabeto sexual, mas é o que nós somos. Não discutimos, não conversamos, não temos coragem de comunicar aos nossos parceiros do que gostamos. Não existe nenhuma troca. Se alguém te dá um feedback negativo a respeito da sua sexualidade você sente como se fosse um crime hediondo. Um preconceito e uma vergonha tão grande que nos tornam infelizes. Quem agradece isso são as clínicas que tratam sexualidade e garantem privacidade total. Só que dentro dessa privacidade pode ter uma baita incompetência, mas e aí? Quem vai reclamar de um tratamento sexual que não deu certo? Para impotência, ejaculação precoce? Ninguém. Até hoje a única reclamação que fiquei sabendo foi de uma mulher do Paraná que havia encomendado um tratamento para o marido. Como não deu certo ela parou de pagar as parcelas.

Enquanto a sexualidade for obscura, a loucura vai ganhar. Você acha que sabe, afinal, você leu livros, se informou. Pega um monte de livros de engenharia ou medicina e vê se consegue aprender alguma coisa? Pode tentar. Pega pilhas e pilhas, leia todos. Não aprende. Precisa de um troca direta, uma experiência. Há 30 anos eu faço um trabalho incrível a respeito da sexualidade com resultados comprovados. Você apenas precisa estar presente e fazer seu esforço, a sua parte. A começar pela coragem de falar as coisas. Esse é o primeiro passo e não pense que é fácil. Pessoas muito esclarecidas às vezes levam 10 sessões para falar a respeito dos seus problemas sexuais. Para o cara dizer que tem ejaculação precoce ele fica vermelho, roxo, azul, gagueja, peida, faz o diabo. Imagina a dificuldade que é você conversar com as pessoas sobre isso. Até o homem admitir que ele está com alguma dificuldade, algum problema, ele já piorou muito a situação, de tanto que ele esperou. Eu posso afirmar de boca cheia para todos vocês que a grande maioria dos homens tem ejaculação precoce. Ou você considera que uma pessoa que transa 5 minutos não tem ejaculação precoce? 15 minutos é muito pouquinho, muito pouco prazer. Provavelmente você vai dizer que de acordo com os padrões internacionais da ONU ou da OMS… Ah! Vai chupar um coquinho. Por vergonha vamos diminuindo a nossa sexualidade. A nossa capacidade.

Se eu abrir no Namastê um grupo para trabalhar ejaculação precoce vai ter apenas eu e as pulgas. Impotência… pelo amor de deus! Vão vir menos dez. Você acha que escondendo o seu problema você vai curá-lo? Primeiro, essa profunda vergonha de sexo é o sintoma mais doentio da neurose. Você nasceu de uma relação sexual. Não deveria ter vergonha disso. Esse medo, essa vergonha, já fazem que você comece uma relação sexual tenso e ansioso. Isso já aumenta imensamente a possibilidade de ejaculação precoce, assim como a impotência. Olha que estou me referindo a pessoas esclarecidas. Não estou falando do pessoal do posto de gasolina, da oficina mecânica. Aonde isso vai chegar? Tem uma campanha que dizia que gentileza gera gentileza, seguindo a mesma síntese, insatisfação gera insatisfação. O problema é que essa insatisfação vai ficando cada vez mais pesada e deixando tudo mais tenso numa coisa que não deveria ter complicação. A sexualidade humana não é complicada! Isso é uma grande mentira.

Eu tenho um vídeo no Youtube “Como aumentar sua tesão”. Se você fizer os exercícios que eu recomendo sozinho, sem gastar 1 centavo, sua tesão vai melhorar com toda certeza. Se você gastar 30 minutos por dia. Agora, se você não tem esse tempo e essa energia para fazer 30 minutos de exercício diário, te interna, vai para o zoológico. Você consegue gastar de 4 a 5 horas por dia em facebook ou qualquer outro aplicativo de bate papo virtual. Se continuar assim vai acabar tomando remédio. Se liga urgente porque você está perdendo sua vida. Tenha coragem. Minha experiência pessoal como terapeuta é que basicamente em 30 ou 60 dias, 90% das pessoas melhoram sua capacidade sexual e muito. Existem alguns casos mais crônicos que levam um tempo a mais, mas acontecem! Agora, quando você começa a transar mais saudável você também quer mais qualidade em outras coisas, mais qualidade no amor e assim sucessivamente. Isso é o natural da vida. Você quer um crescimento, uma expansão. E a vergonha é realmente um caos nisso. Você perde toda a sua naturalidade. De deixar fluir naturalmente suas vontades, seus desejos. Ou você acha que seus desejos e vontades são tão podres assim? Se forem podres o outro vai falar. “Oh, trata disso”. Deixar tudo escondido no porão, um dia esse porão explode. Se não explodir emocionalmente, pode explodir numa doença grave. É hora de você se dar conta que é uma bobagem essa vergonha, uma grande bobagem. Isso carrega todo o preconceito com a sexualidade e dentro desse preconceito, desse medo, de encarar a sexualidade como algo vergonhoso, tem que praticar com rapidez e sem conexão. Como se tivesse que praticar rápido aquele ato indecente. Isso acontece no seu inconsciente. São preconceitos introjetados em nós pelo o padre, pela igreja, pela família, pelos amigos. Todo mundo querendo impedir que a gente seja natural. Na real, eles são frustrados e querem que a gente seja frustrado também.

Um casal não consegue sentar de frente um para o outro e falar seriamente sobre sexualidade. A mulher dá a real para um homem? Não dá. Eu sou terapeuta e eu sei que não. Só quando separam. Aí vem uma lata de lixo. Nenhum homem dá qualquer feedback a respeito de uma mulher também. Não. Ele prefere ir para aquelas que considera mulher de lida fácil. Não tem essa comunicação. Não tem essa troca. Como que você vai crescer dentro disso? Você morre de vergonha de uma pessoa que você deita na cama, que você transa, onde você tem uma intimidade com o outro. Como se o outro não notasse seus problemas, seus defeitos. Todo mundo faz de conta que é abobado, cego, tapado, mas quando a relação acaba vem tudo para fora. Eu ouço as críticas mais pesadas, se desde o começo as coisas fossem faladas, a pessoa teria oportunidade de crescer e mudar. Agora, um pacto de silêncio estúpido e burro não ajuda ninguém. Você mantêm sua vergonha, mas o que ganha com isso? Quando você passa na rua todo mundo enxerga uma pessoa satisfeita, realizada? A marca da insatisfação está no seu rosto. Na quantidade de creme que passa. Na andar rígido, a cara sisuda dos homens. Só que normalmente não se fala né? Quem fala? Normalmente gente como eu são consideradas loucas, perversas e sei lá mais o quê. Comece a quebrar esse gelo. Não estou falando para você colocar no jornal ou na rádio. Estou falando para começar com seu parceiro, sua parceira, teus amigos mais próximos que gostam de você, que vão te respeitar. Se a coisa está preta, procura um terapeuta capaz, alguma técnica que possa fazer uma diferença na sua vida. Porque sem prazer, sem alegria, não dá para viver.

Transar te deixa consciente do quanto sua vida é chata

IMG_6076 copy

Por Anandini

Hoje atendi uma cliente que tinha travado a lombar e não conseguia andar. Foi do nada, se vestindo para ir trabalhar, sentiu uma dor e ficou completamente imóvel. Não entendia porquê. Conversando com ela, relembrando os últimos dias, foi chegando a conclusão que tudo estava ficando legal na vida. Estava transando mais com o namorado, ganhando mais dinheiro, chegando no ponto para ter a grana que precisaria para realizar um grande sonho na vida, de se mudar e morar num sítio. Nesse momento, “do nada”, sua lombar travou e começou a questionar que estava trabalhando demais, que não valia à pena, que tinha que ficar mais quieta e não se mover tanto, que o emprego antigo nem era tão chato e que a casa que morava até que era legal. Ah, e que o namorado queria transar demais. Tem dois anos que estou atendendo com bioenergética no Namastê e tenho várias histórias semelhantes para contar. É impressionante que tudo que nos faz mexer com a nossa vida, que nos deixa incomodados com a miséria que vivemos, damos um jeito de parar com aquilo.

O prazer incomoda porque te deixa consciente da nossa pobreza, de como nossa vida é medíocre, de como nossos pais, amigos, as pessoas que conhecemos e vemos por aí vivem uma vida miserável. Para não sentir isso, não lidar com esse contraste, escolhemos acabar com qualquer coisa que nos traga esse incomodo. Transar é o primeiro deles. O sexo mexe com nosso corpo, com nossas emoções, nos traz para a realidade, para um prazer intenso e profundo. Nos deixa mais preenchidos, nos sentindo mais bonitos, nos faz conectar com nosso instinto. Imediatamente começam a brotar frutos na sua vida e um maior senso de realidade. Vai começar a questionar a sua relação, o seu trabalho, o lugar onde mora, o que come, a forma em que você vive, que seus amigos e conhecidos vivem, como seus pais te criaram, como a sociedade se constrói. Cada sensação de liberdade, de prazer, vai te lembrar de quanto vive enjaulado, de quanto sua vida não tem alegria e para não lidar com essa sensação é melhor ficar no mais do mesmo.

O problema é que nunca estaremos satisfeitos, nunca seremos seres humanos completos se não embarcarmos nessa busca pela verdade, pela realidade, pelo desejo de romper e se transformar. A natureza humana nos leva para este caminho. Podemos reprimir esse desejo com celibatos, substituir por comida, dinheiro ou poder, desviar para espiritualidade, mas no fundo, você sempre vai sentir que alguma coisa está errada. Criamos um mundo que nos mantêm desconectados e distantes para esquecermos dessa insatisfação, da nossa busca, da nossa essência. Estamos preenchendo com salas de bate-papo online, cardápio de homens e mulheres no tinder, whatsap a cada 5 minutos, compras no shopping, viagens de roteiro turístico que todo mundo faz igual, trabalho 24 horas por dia. Vamos distorcendo nossa essência a tal ponto que essa escravidão é considerada atrativa. Tenho certeza que você consegue enxergar isso na sua própria vida. Como sair dessa sansara? Comece vivendo.

Tudo que nos traz para o corpo, transar é um delas, nos conecta com a realidade, com as emoções e te leva para um estado de felicidade, mas ser feliz hoje em dia é um ato de coragem. Você vai ser o diferente, o louco, vai incomodar as pessoas, causar desconforto. Talvez tenha que terminar um relacionamento, trocar de trabalho, se mudar ou talvez não tenha que fazer nada, apenas conseguir parar. Todo mundo tem um desafio. Aceite o seu.

Carne podre no supermercado: pequena falha. Sexo é bom: tarado, putanheiro, só podia ser do Osho

blog mosca

Por Milan

Talvez você ache estranho, mas eu acho é muito gozado. Outro dia pela manhã eu estava ouvindo a Rádio Gaúcha e eles estavam falando sobre a carne podre. Os comentaristas estavam indignados, vociferavam verbalmente, mas porquê me pergunto. Eles fazem propaganda disso diariamente, eles defendem fervorosamente tudo que é do sistema e de repente resolvem criticar a carne podre. Não conseguem enxergar que eles são parte disso? Igualzinho aos moralistas que são os melhores frequentadores de cabaret que conheci, (hoje em dia trocaram o cabaret pela internet e outras pornografias digitais) mas nas rodas sociais fazem uma vociferação contra o sexo absurda.

O leite que você toma não é leite de verdade, o tal do leite compensado. Sem contar que nas embalagens só vem escrito 20% da verdade. Para falar 100% teria que contar que a comida que a vaca recebe para produzir leite é um absurdo. A alimentação dela é um tipo de massa branca, subproduto do óleo de soja. Em uma semana essa massa fede que você não imagina. Em dois anos o fígado da vaca fica podre. Agora, imagina o tipo de leite que essa vaca produz. Sem contar que os resíduos de cerveja que não são tão maléficos como a soja branca que também viram alimento para as vacas ou a as rações cheia de hormônio ou o hormônio que é aplicado diretamente para produzir mais leite ou a quantidade de medicação. Se você cavar à fundo vai encontrar inúmeros absurdos. E se quiser ir além da carne podre, além dos fiscais que foram comprados, vai perceber que não são apenas os fiscais que são corruptos. Todo nosso sistema funciona para corromper as pessoas. Nosso sistema é baseado nisso.

Desde criança aprendemos a ser corrompidos. Se você der um beijinho no titio você vai ganhar isso, se fizer tal coisa ganha aquilo. É um sistema meio trouxa. Saiu no noticiário outro dia sobre as verduras da Ceasa, mas você continua comprando as verduras que vem de lá, você vai continuar comendo essas verduras. Você sabe que tem um absurdo de veneno, mas tudo bem. Agora, se eu escrevo aqui sobre sexo sua cabeça já vira um turbilhão. Escrevo que sexo é bom, que você poderia transar todas os dias, que sexo com amor é maravilhoso, que vale a pena você meditar, aprofundar suas relações, que vale muito você separar mais dias para o sexo, e a primeira reação é você ficar desconfiado, “querem me lograr, querem me enganar”. Isso quem quer são os supermercados, o seu sistema, nós não. Nós queremos expandir o nosso ser. Acredite se você quiser. Todo mundo que consegue coisas reais e profundas na vida é inevitável que queira compartilhar, é absolutamente inevitável. Exatamente por isso quero compartilhar a profunda beleza que é a sexualidade. Como a sexualidade leva para o coração. Como renova sua energia. Como renova a sua vida. Nós queremos te dar ferramentas para isso. Não há contra indicações, não há efeito colateral.

O único problema é o seu sistema educacional. Você foi educado para sofrer, passar por necessidade. Não foi educado para ter prazer e alegria. Deus compensa quem cedo madruga, os sofredores e os mansos renderão à terra, os sofredores vão para o reino do céu. Aqueles que tem prazer vão para o inferno. É poluição na cabeça. Agora, toda essa podridão que está acontecendo no Brasil tudo bem. Você que foi à rua contra Dilma, porque não vai à rua contra o Temer? O cara está mentindo mais descaradamente, fazendo um monte de sem vergonhice que todo mundo sabe e não fazemos nada. Mas a Globo não está promovendo passeata, então a gente não faz. A Globo também não promove sexo com amor, com profundidade, então a gente não faz. Nós fazemos o sexo estragado que tem por aí, da mesma forma que tem carne poder, verduras com veneno, existem os venenos do sexo. A carência, dependência, submissão, projeção de pai, projeção de mãe são os venenos do sexo. Está na hora da gente fazer sexo orgânico, mais profundo, mais poderoso, mas você tem que buscar. E com pessoas que sabem. Com pessoas que realmente viveram essa profundidade. Tem que fazer esforço. Ou vai para um clínica tomar um comprimidinho. Aqui, a gente quer mais da vida.

2017 com muito tesão, muito orgasmo e muito amor. Quer saber como conseguir isso?

contra capa.jpg

O primeiro passo para tudo isso é compreender que você é uma pessoa capaz, que você veio para esse mundo com essa capacidade. Podendo transar muito, podendo amar muito, podendo viver muito, mas muito cheio de energia. A família que te recebeu, a sociedade que te recebeu é que não estavam preparadas para isso. Nossa sociedade não está preparada para o amor, para o sexo, para a alegria. Nossa sociedade está preparada para sofrer, sentir falta, não se realizar. A única coisa que a sociedade está preparada é para criar ilusões. Uma fantasia de que algum dia vai acontecer aquilo que nunca acontece. Olha, a vida está aí. Todo esse potencial imenso, de tesão, de amor, de energia, que você tem desde que nasceu está bloqueado dentro do seu corpo. Está bloqueado pelos preconceitos, pelos medos que nos colocaram, pela inoperância que nos ensinaram. O tempo inteiro nós achamos que não somos capazes de nada, que nós não conseguimos nada. Então a gente nem tenta. A gente nem se arrisca. Tudo faz parecer que estamos fadados ao não dar, ao não posso, ao não consigo. Isso é uma baita mentira, porque esse é o sistema ao qual a sociedade e nossos pais nos controlam. Porque eles são frustrados nas suas vidas e eles não podem conceber que alguém não seja frustrado e eles nunca vão reconhecer que são frustrados, mas você sabe. Você olha para eles e sabe que são frustrados. Você tem absoluta certeza. Só que isso não pode ser discutido, isso não pode ser falado. Você percebe os sintomas da doença. A falta de contato, de carinho, de alegria, mas você não percebe que você está ficando assim também.

A sexualidade junto com o amor é a nossa possibilidade de romper com esse padrão. Porque a sexualidade é a maior fonte de prazer que nós temos. A maior fonte de alegria. É a maior meu! Nada é comparável a isso. E quando chega no coração é uma expansão absurda. Começa a dar uma profundidade, um sentido para vida. Você deixa de ser um robô. Agora, você não busca isso, porque você não acredita que você é capaz disso. Você está ainda com a coisa de que não dá, não consigo. Então você esconde de você mesmo as suas vontades, os seus desejos. Você se acostumou a desejar pequeno. Você se acostumou a sobreviver com migalhas emocionais, e na sua referência você acha que migalha é muito. Se uma mulher ou um homem te dá atenção é o suficiente. Mas isso não é o suficiente, não é! Você merece um grande amor, uma grande aventura. Você não está aqui nesse planeta apenas para sobreviver, ter um pouquinho. Agora, para você ter isso, você tem que mexer seu rabo. Não é clicando na internet e se masturbando com pornografia internáutica ou fazendo cara bonita no Facebook curtindo um monte de bobagem, tendo 10.000 amigos. Grande bosta! 10.000 que não vale por um, porque não tem contato humano, não tem calor. Aquele cara tem 100.000 seguidores, e daí? 100.000 inúteis que só sabem apertar um dedo. Você tem que buscar muito mais nessa vida. Você tem que resgatar seu corpo, você tem que quebrar com toda essa craca que foi a sua infância porque nossa infância foi uma craca. Um monte de proibições, um monte de nãos, um monte de televisão, de lixo televisivo na nossa cabeça. Você acha que com esse lixo televisivo você vai conseguir amar alguém profundamente? O sexo e o amor não são consumidos em lixeira.

O sexo e o amor são a fonte do nosso nascimento. Você vai ter que querer entrar para dentro de você e expressar todos esses “nãos” que teve que engolir. Expressar toda a raiva que você sentia quando era limitado a um espaço pequeno e restrito. Vai ter que chorar toda a dor da carência da ausência do seu pai e da sua mãe. Chorar a dor dos abraços, dos carinhos que você não teve e isso vai descongelar seu ser. Apenas assim 2017 vai ter muito tesão e muito amor. Agora, se você quer esperar papai noel, hahaha… vai no Magazine Luíza ou em qualquer shopping por aí que o papai noel vai te abençoar. Está na hora de você ver que você é um adulto. Está na hora de começar a agir como adulto. Sabe o que eu te desejo para 2017? Que você vire novamente uma pessoa, que você se torne um ser humano. Sai dessa caixinha limitada que você foi colocado. A sua vida não pode ser essa maldita tela que está aí na sua frente. Isso é a própria ausência de vida, é a própria falta de vida. Aqui, nós somos capazes. Nós estamos buscando nossas vidas e eu sei que você fica incomodado quando vê que alguém está buscando porque você faz o possível para aguentar viver com um aposentado, mas a vida está ali na sua frente, depende apenas que você entre nela. Você vai construir um 2017 diferente. Não é um desejo. Dê os passos e deixe de ser idiota. Sua vida vale muito a pena. O primeiro passo que você pode fazer em 2017 é vir aqui para o Namastê fazer a Escola de Meditação. Em 1 mês você vai notar uma boa diferença na sua vida.

O medo é uma armadilha que prendeu o amor

capa flyer gincana.jpg

Por Milan

Um dos maiores presentes que tive na minha vida foi o amor, foi amar. Eu me lembro perfeitamente do quanto eu cresci. Sempre me dava vontade de mais. Eu não tinha vontade de me encolher. Era uma força tão grande dentro de mim que eu queria compartilhar com outras pessoas. Eu queria passar essa vibração. Eu nunca quis um isolamento. Eu me lembro sempre que estava com os amigos, amigas, grupos em volta. Acampar em turmas. Talvez, essa foi a razão dos meus amores serem mais duradouros e mais profundos, mesmo que você fique brabo e me ache arrogante. Vivi profundamente o amor. Tinha medo de perder a pessoa? Tinha. Mas esse medo nunca ganhou. Eu nunca fui para segunda divisão por medo de estar com gente mais legal e minha parceira ficar afim de outra pessoa. Aliás, é ridículo um monte de casais terem medo de conviver com pessoas interessantes pelo risco de ficarem afim de alguém e por isso se escondem. Ora, uma pessoa que toma esse tipo de atitude lá dentro deve se sentir muito mal. Claro que ninguém coloca isso no Facebook. “Não vou a tal festa porque tenho medo que meu parceiro se interesse por outra”. Bom, aqui na Comunidade, no Namastê, na Gincana, muita gente faz isso. Tem medo das mulheres bonitas, dos homens bonitos que tem aqui. Medo de gente com mais conteúdo. A pessoa se esconde e faz de conta que é feliz, mas o amor que não corre nenhum risco, para onde vai? Amor que não tem nenhum atrito é igual a funcionário público. Nada contra eles, mas eles não tem nenhum atrito para crescer. Eles sabem que não vão ser demitidos de jeito nenhum e acabam por não ter nenhum estímulo, nenhuma vontade. Como isso acaba? Em depressão.

Todo esse papo de ocupar prédios públicos, escolas, sair em passeata para gritar “Fora Dilma”, toda essa agitação política, muito legal! O problema é que no fundo, no plano emocional, são todos Temer. Medíocre, pouquinho, cagado de medo de grandes homens ou de grandes mulheres. Para fora berra para o Governo e para grandes instituições o que deve ser feito, mas na vida pessoal é medíocre. Todas as transformações do mundo, diversos tipos de governo alternativos que tentaram não deram certo. Sabe porque? Por que o amor foi deixado de lado. Porque a sexualidade foi deixada de lado. Não estou falando do amor pela igreja, do padre, dos espiritualistas que amam tudo e todos. Estou falando do amor com atrito, do amor com tesão, do amor de construir as coisas, amor que tem garra, alegria, raiva, êxtase e tristezas. Não esse amor aleijado, que tem que caminhar por estradas retas, asfaltadas, sem nenhum tipo de desafio.

A maioria dos amores que tem por aí são pernetas, mancos, coxos, que só andam por caminhos preestabelecidos, sem nenhum risco. Casais que escolhem estar em locais aonde não tem muito contato com outras pessoas interessantes, que não tem risco. Praia do Rosa, Praia da Guarda, ali aonde tem gente que são só aparência, sem profundidade. Escolhe passar horas em engarrafamentos, muita maconha, muita cerveja e muito blá blá blá. Ou aqueles que optam por passar o final de ano com a família, “Oh my God”! Também tem aqueles que tem tanto, mas tanto medo, que vão acampar no mato, bem isolado! Cuidado hein… os passarinhos são capazes de ficarem afim da sua gata e daí você vai se dar mal.

Tenho medo de gente e de solidão
Tenho medo da vida e medo de morrer
Tenho medo de ficar e medo de escapulir
Medo que dá medo do medo que dá”

Lenine, música Miedo

Assim nós seguimos para depois voltar para nossas vidas frustrados. A grande maioria das nossas amizades são muito superficiais porque a gente está tirando cada vez mais de fora o coração, o se importar, o se envolver, e isso é de quase tudo. Você não se envolve mais com seus sonhos, com aquilo que gosta de fazer. Você está preocupado em fazer aquele algo, mas não se você gosta daquilo ou não. Assim o mundo fica cada vez mais neurótico, mais triste. Tipo aquelas manifestações do ano passado no “Fora Dilma” que foram apenas um desabafo das coisas contidas. Porque agora está uma merdelança com o Temer e Cia Limitada e as pessoas não tem mais aquela força, são alguns poucos. Acho que tinha que ter o “Fora Dilma” sim, mas tem que ter o “Fora Temer” também. Gente, Fora Gilmar Mendes e toda essa laia que usou todos os cagões com objetivo de tirar a Dilma e colocar alguém que ia beneficiar eles. Conseguiram. Agora, como não tem manipulação, ninguém consegue fazer nada e os meios de comunicação, os juízes, os deputados, que Fora Temer que nada. Não tem isso. E agora você não sabe o que fazer. Mas pelo menos você devia começar a mexer seu rabo na sua vida pessoal e correr riscos. Eu tenho um desafio para você, um convite, vem para Gincana Namastê e você vai curtir para caralho. Mas tem que ter coragem para conviver com 200 pessoas que estão com o coração aberto e cheias de energia. Realmente precisa ter coragem para mexer com a sua vida.

Têm medo de rir e medo de chorar
Têm medo de se encontrar e medo de não ser
Têm medo de dizer e medo de escutar
Medo que dá medo do medo que dá”

Lenine, música Miedo

O medo não vem escrito em letras garrafais na nossa cabeça. Não é igual ao whatsapp, “estou com medo”, não! O medo se disfarça, pois desde criança nós aprendemos que não podemos demonstrar medo. Nós temos que ser fortes e temos que near isso, seria muto vergonhoso dizer que eu tenho medo de ir naquela reunião da Gincana pois tem uma mulher que mexe comigo e tenho medo de me apaixonar por ela. Seria corajoso, muito bom, se você conseguisse dizer isso, porque aí você lidaria com seus medos reais. Porque o medo aparece assim: “Não vou lá porque acho chato, porque não estou com vontade, não vejo sentido, aquelas pessoas são estranhas”. Na real você tem medo de encarar as coisas. Medo que uma meditação mexa contigo, que aquele rapaz fique afim de você. Não fique esperando whatsapp do medo que ele não vem via whatsapp. Ele bloqueia a sua energia e vem representado por outra coisa. Na real, 90% dos nossos medos são infantis e ridículos, por isso eles tem que ser disfarçados, porque eles são vergonhosos. Praticamente 90% das coisas que você não faz são por medo. Vejo aqui no Namastê um monte de medo. Mulheres sozinhas com medo dos homens. Homens sozinhos com medo das mulheres. Na Gincana é algo incrível! São tantas pessoas querendo namorar, querendo se envolver que as pessoas se cagam e preferem passar o fim de ano com a família, ir para o Rosa, com a aquele bando de gente chata, cheirando na beira da praia, fazendo de conta que a vida é boa. Ou seja, lá tem a droga que você inventa. Na real, você tem medo, não espere ele te mandar uma mensagem por whatsapp.

Nós estamos rompendo com nosso medo, nós não estamos bloqueando, nós estamos rompendo. Temos medo das coisas? Sim. Mas dia após dia nós estamos indo e fazendo. Como diz a música do Taiguara: “Nós estamos inventando a vida, como se antes nada existisse”, e eu acho que é por aí. Cada um de nós tem a obrigação de viver nosso potencial humano e o nosso potencial humano passa pelo coração, pela tesão, pela amizade, pela criação. Sem isso, a sua vida é inhumana, sem graça, sem sentido. Eu sei que nos encheram de medos de tudo isso. Mas você vai parar no medo? Vai continuar no medo? Ou você quer se mexer? Ou você acha que tem que digitar procurando no site: como deixar de ser cagão? Você acha que tem que te dar tudo mastigado? Tem que te dar um comprimido? Procura meu! Procura! Você é uma pessoa capaz, nasceu assim. A sua educação, o teu sistema familiar, fez de tudo para bloquear a sua capacidade, para você ser um pau mandado. Se você quer mudar, mexe teu rabo. Eu mexo o meu. Eu conheço pessoas, e muitas, que transformaram a sua vida, se redescobriram. Vale muito a pena. Agora, é tudo uma escolha sua meu. Eu conheço esse caminho de risco, de aventura e de alegria. É um caminho aonde a gente fica muito vivo. Tem outros caminhos, os caminhos dos mortos, dos semi-mortos, ou seja qual caminho que você queira, mas te lembra, o coração é a base de tudo. A entrega. O risco. Só acontece com vivos. Faça algo novo nesse fim de ano. Volta a ser humano.

O medo é uma sombra que o temor não desvia
O medo é uma armadilha que pegou o amor
O medo é uma chave que apagou a vida
O medo é uma brecha que fez crescer a dor”

Lenine, música Miedo

Muitas aventuras no ano novo!

 

“Não sois máquina, homens é que sois”

blog

Este é o título do “Último discurso” do Chaplin no filme “O Grande Ditador”. Essa frase cabe no momento por ser uma súplica pela humanidade, uma súplica para o ser humano acordar. Existem coisas absurdas que se tornaram banais. Eu vou alguns dias da semana ao Namastê, na Rua República, na Cidade Baixa. Têm dias que o cheiro de mijo na rua é tão forte que parece que estou dentro de um mictório público. Cheiro de lixo, daquelas lixeiras que o Fortunati colocou e que acaba tendo mais lixo em volta do que dentro. Motos passando e rasgando com aquele barulho, vrummm… Carros barulhentos, buzina. Passam aquelas pessoas saindo dos restaurantes com suas roupas cuidadosamente escolhidas para esconder corpos atrolhados. Você olha para a cara das pessoas e nem reconhece mais a sua humanidade.

O problema é que tudo isso é perfeitamente normal. Virou normal ver adolescentes perdidos na noite, bêbados, chapados. Isso tudo bem, cada um faz o que quer. Gritando pelas ruas suas angústias, seus desesperos. Aquele odor de trago dos bares, tudo ficou natural, tudo isso foi perfeitamente absorvido. Você olhando as pessoas passeando nas calçadas com seus cachorrinhos que são tratados como se fossem pessoas. Eu olho e acho aquilo uma aberração. É difícil eu não linkar aqueles cachorrinhos cheios de roupas e acessórios, totalmente neuróticos e infelizes, mas lambendo seu dono, sua dona. Um cachorro desses consome o que daria para matar a fome de uma criança da Restinga ou de qualquer vila que você queira, mas isso é normal. Isto é aceito. Para todas essas coisas não existe mais nenhuma indignação.

Casais descendo dos seus carros, se olhando com caras tensas, sem graça. É raro você ver alguém sorrindo, caminhando descontraidamente pela rua, alguém assobiando, cantarolando. Se isso acontecer acho que vão mandar prender. Acho que a Associação do Bairro da Cidade Baixa (que parece que é comandada por um padre) é capaz de mandar prender. Os bares ocupando as calçadas, ninguém se importa. Afinal de contas é preciso fazer a economia do país andar. É preciso consumir. Farmácias, restaurantes, pizza, cachorro quente, sorvete, temaki, qualquer tipo de porcaria, independente do barulho, independente dos danos à saúde, independente dos danos estéticos, tudo isso pode. A única coisa que não pode são seres livres, seres criativos, que ainda acreditam que expressar a sua sabedoria, sua arte e o seu amor para os outros pode ser um ponto de luz no meio de desse mar cinzento.

Falo isso porque aqui estamos na 15º Gincana do Namastê. Há 14 anos fechamos a Rua República para a abertura da gincana. Um dia ao ano, por duas horas, para apresentação de 4 equipes, das 21h às 23h, em pleno horário de verão. Pessoas criativas e bonitas. Se você já viu sabe que é uma arte completamente amadora, construída com muito amor, suor e lágrimas. Uma emoção incrível expressa ali, uma vez ao ano, mas a Associação dos Moradores da Cidade Baixa pediu que fosse proibido. Nós ficamos chocados. Uma vez por ano. Uma beleza incrível que realizamos há 14 anos. Sempre com muita alegria e encantamento. E isso não aconteceu apenas conosco. A censura ao belo também proibiu a passeata de blocos de rua e a caminhada pelo Dia da Consciência Negra. Já a passeata Coração de Jesus foi permitida.

Muitas pessoas que foram nos assistir, a grande maioria dos vizinhos gostam. São apenas 2 ou 3 neuróticos que não podem ouvir barulho de alegria, de gente bonita na rua. Gente sensual, gente viva. Talvez isso incomode, mas são 3, 4 carolões. Por que essas pessoas não fazem uma ação contra os vandalismos na Cidade Baixa? As inúmeras vezes que plantamos nossos jardins e foram destruídos, contra o barulho dos carros, das bebedeiras nas ruas. Por que nós estamos sendo punidos? Nós não estamos sendo punidos. Aquelas pessoas que ainda tem algum encantamento estão sendo punidas. Nossa apresentação, que seria no dia 5 de dezembro, será transferida para o dia 4 na Comunidade Osho Rachana. Uma apresentação feita com alegria, amor e beleza. Vamos fazer para nós mesmos e para aquelas pessoas que estão dispostas a andar 35 km para passar uma tarde num sitio maravilhoso. Convivendo com pessoas maravilhosas.

Temos certa tristeza nisso pois gostaríamos que os cidadãos da cidade tivessem acesso a essa arte. A rua não é só para os carros, é para trazer conforto para a gente também, mais facilidades, mas parece que a Prefeitura e o conceito ideológico em voga vai transformar a Cidade Baixa em um presídio. É permitido tudo o que é bandalheira menos a beleza. Como em qualquer presídio. É permitido assassinato, roubo, tráfico de drogas, corrupção, pornografia. Eu nunca soube de um presídio que tivesse arte, dança, teatro, que lamentável. É muito lamentável que a beleza e a alegria sejam punidos.

Isso me lembra muito o nazismo, a proibição de tudo que é belo, humano e sensível. Eu, no começo, tinha aceitado. Mas eu também não vou me acomodar na doença de todo mundo. Então vou dar esse meu berro. Esse meu grito, essa minha indignação contra o mau gosto, contra a falta de sensibilidade, contra a falta de alegria e acho que todo mundo que tem essa chama devia fazer um esforço de ir na apresentação da Gincana. Aliás não é um esforço, é uma benção sair da cidade e ir para uma natureza estonteante, sem nenhuma poluição, sem nenhum veneno. Comer um moranguinho do pé, desfrutar do nosso almoço, de uma comida sem veneno, comer uma carne limpa, ovos sem hormônios, jogar um futebol, conversar com pessoas, trocar, fazer uma pequena meditação, subir no morro e ver o pôr do sol do Guaíba, coisas singelas e bonitas. Isso ia fazer muito bem para sua alma e depois assistir um espetáculo maravilhoso de 4 equipes da Gincana que vai te surpreender de uma maneira estonteantemente. Aí você vai perceber que você também é capaz de fazer aquilo porque são pessoas iguais a você que estarão sendo as estrelas. Vou terminar com um pedaço do Último Discurso:

O caminho da vida pode ser o da liberdade e da beleza, porém nos extraviamos. A cobiça envenenou a alma dos homens… levantou no mundo as muralhas do ódio… e tem-nos feito marchar a passo de ganso para a miséria e os morticínios. Criamos a época da velocidade, mas nos sentimos enclausurados dentro dela. A máquina, que produz abundância, tem-nos deixado em penúria. Nossos conhecimentos fizeram-nos céticos; nossa inteligência, empedernidos e cruéis. Pensamos em demasia e sentimos bem pouco. Mais do que de máquinas, precisamos de humanidade. Mais do que de inteligência, precisamos de afeição e doçura. Sem essas virtudes, a vida será de violência e tudo será perdido.”

Para participar desse grande encontro entre em contato conosco:

Namastê – Rua Republica, 528, Cidade Baixa – Tel: (51) 32867485

Líderes das equipes:

Anandini (51) 983079227

Punya (51) 981917933

Nirava (51) 981919989

Sharania (51) 981517564

Por que sexo mexe muito com a gente?

rdb_capitaofantastico

Por Milan

Cada vez que escrevo um texto sobre sexo o blog têm em torno de 8, 9 mil acessos. Já quando escrevo sobre amor ou outros assuntos,  os textos tem 3500 a 4000 acessos. O sexo mexe muito com a gente. Por que será? Apesar das imensas distorções que existem, como a pornografia ou a putaria. O essencial é que apesar das distorções o sexo traz para o corpo e de alguma maneira quando o corpo entra em ação há uma passagem na energia, uma quebra, uma possibilidade maior das coisas acontecerem. É muito mais provável que um cara que vive enlouquecido sexualmente se dê conta do que um padre ou uma freira. Apenas uma possibilidade maior. O sexo é obrigado a nos trazer para uma realidade mesmo que seja num pequeno momento. Mesmo que você viaje, que você transe fantasiando. Em algum momento você tem uma conexão com seu corpo. Você é obrigado a sentir seu corpo e ao mexer seu corpo você move uma energia interna que vai trazer sentimentos. Mesmo com toda essa loucura da sociedade, toda essa alienação, toda essa tentativa de eliminar o sexo, substituir pelo prazer oral da comida, por prazeres visuais ou intelectuais. Tem muita estimulação na sociedade para eliminar a sexualidade. Shows, teatro, espetáculos. Não sou contra, mas muito a sociedade tenta eliminar a sexualidade. Não conheço nenhuma peça teatral que chegou perto de uma grande noite de amor. Veja bem, sexo com coração. Para mim é muito tranquilo saber que isso é superior, mas aquilo que é superior não elimina o outro. É uma forma de prazer mais profunda. O sexo envolve dois seres numa profundidade, numa intimidade entre duas almas. Eu, por exemplo, fui a shows que me tocaram profundamente, que não esqueço jamais. Só que quando você substitui todas essas coisas pelo essencial, que é a sexualidade, principalmente vinculado ao coração, é que a coisa começa a ficar louca.

Você diz que transa, mas é mentira, pura mentira. Se você quer ser honesto contigo escuta seu prédio e calcula quantas pessoas transam, fazem amor. Esse barulho deveria ser o maior que existe. Os prédios devem ter uma placa de isolamento acústico para evitar esse barulho, para as pessoas não ficarem constrangidas com isso. Para evitar essa vergonha. Só pode! Você não chega no trabalho dizendo que transou, nem que teve muitos orgasmos. Só ouve os homens pelos cantos, aquele monte de homem num papinho machista: “Comi uma gata do caralho”, a própria expressão já é podre. Tá muito claro que a sociedade não quer isso. Não quer nossa felicidade. O que seria das farmácias, dos médicos, dos restaurantes, dos advogados, dos sei lá mais o quê se as pessoas fossem felizes. Se você está satisfeito sexualmente depois de um orgasmo você está sensível, você sai na rua e não vai aguentar aquela barulheira,  cheiro de fumaça, prédios feios, as calçadas feias, nada de natureza. A sociedade continua num intuito desde os conquistadores que querem dominar os selvagens, querem domesticar. O sexo está absolutamente vinculado ao nosso lado selvagem. Se você deixar um animal preso ele vai ficar deprimido ou enlouquecido. Se você reprimir a sua sexualidade você vai ficar enlouquecido ou sem energia. São as leis da vida.

As distorções sexuais existem. Você vai ter que passar por elas. Eu, tu, ele, nós, vós, eles. Todos nós fomos criados numa sociedade repressora sexualmente. Todas as distorções estão aí, mas a semente essencial também. As cascas, as crostas que colocaram em cima da semente, não eliminaram a semente. Você tem que limar essas crostas. As pessoas, muito por desconhecimento, por não ter nenhum ponto, nenhum lugar, onde as pessoas estejam interessadas em resgatar profundamente a sexualidade acabam tentando tudo que é jeito porque existe um desespero. Em algum ponto, até celular, na tua memória, deve ter um momento de sexualidade que você sentiu uma conexão maior com teu coração, com a sua pessoa. Ora, se você quer viver dentro da sociedade, então vive. Você está vivendo. Você já está. Você acha bom? Então tá. Você acha satisfatória? Então tá. Eu não acho nenhum pouco satisfatório. Eu gostaria que você se ainda tem olhos para enxergar e se ainda tem um pingo do seu coração pulsando, eu gostaria que você assistisse ao filme “Capitão Fantástico”, por  favor vai ver esse filme. Vamos colocar um link por aqui para você entrar direto no filme, mas vê mesmo, de verdade, com honestidade, é muito incrível. Todas as pessoas que viram esse filme me dizem que fez muito bem, que refletiu muito. É óbvio que não deve estar em nenhum cinema. Acho que nem vai estar. Não há interesse nisso. Você deveria ter um profundo interesse. Você vê tanto filme, você está tanto tempo na internet. Assiste esse filme e você vai ver contra posições e questões a respeito.

Nós não temos uma meta, eu não tenho um objetivo. Eu estou apenas tentando desmanchar tudo que não é natural em mim porque eu sei que daí vai brotar a minha naturalidade. Para aonde isso vai eu não sei. Eu confio na natureza. Como eu não vou confiar numa natureza tão sábia que criou seres incríveis. Quando eu olho para o meu netinho percebo como a criação humana é encantadora, absolutamente fantástica, desde nosso funcionamento mecânico, corporal. O corpo humano é uma perfeição do caralho. A natureza, as árvores, os pássaros, os ventos, as chuvas são coisas extremamente fantásticas. Não há computador que possa se comparar com isso. Acorda. Então a existência é muito sábia porque não podemos confiar nessa maravilha que é a existência? Você quer colocar o nome de Deus, Alá, qualquer coisa. Coloca o nome que quiser, inventa alguma coisa, mas olha o que é a naturalidade, é bela. A natureza é absolutamente bela. A loucura tem tantas forças que às vezes até fecha os nossos olhos. Não conseguimos enxergar, eu gostaria muito que você visse “Capitão Fantástico” porque ele é um estímulo para a luta de nos mantermos humanos, de nos mantermos sensíveis, de não desistir, de não deixar ser levado pela maré, de não deixar ser levado pela onda. Ser um ser que tem autonomia, que tem ainda uma capacidade de se autogerir.  A sexualidade é um ponto fundamental para manter viva essa chama do selvagem. É tão óbvio para compreender isso. Você nasceu de que afinal? De que você nasceu? Qual a sua origem? Sua origem não é um ato sexual? Essa energia sexual está por todo o seu corpo, toda a sua pele, cada membro, cada osso, está no DNA, como todo mundo gosta de falar, está no DNA. Inegável. Essa é a grande possibilidade, da sua reconexão de quebrar todo o congelamento. Todo o automatismo. Não desista, nem de você, nem dos outros. Existem muitos caminhos. Não desista. Eu suplico a sua humanidade. Veja “Capitão Fantástico”. Você vai poder comparar. Se ver junto com os amigos, melhor ainda. Se isso te tocar, saiba que no Namastê tem muito, muito mais.

Não vamos nos entregar de jeito nenhum!

Faça download do filme neste link: https://drive.google.com/file/d/0B9l4FMReMGLQUmxYczVXa3p1dUE/view