O que faz teus olhos brilharem?

Por Gyan Pavita

Ei, companheiro humano, homem comum, “Zé-ninguém” do Reich, “dito cidadão respeitável” do Raul, telespectador, internauta, mulher, homem de qualquer idade, essa pergunta é pra ti. Meu amigo, minha amiga, o que faz teus olhos brilharem?

Já te vi se apresentando na palestra, na aula, na mesa do bar, na igreja, no emprego, no consultório, na mesa eleitoral, na casa da sogra… Já te vi falando e tentando convencer o mundo das tuas microcertezas. Já te vi defendendo-as acirradamente, desdenhosamente, preguiçosamente. Já te vi repetindo o que ouviste do pai, da mãe, do padre, do professor, do santo, do chefe, do autor, do poeta, do terapeuta, do ídolo. Já te vi se contorcendo e distorcendo pra encaixar no lugar.

Só anseio por ver teus olhos brilharem.

O que faz teus olhos brilharem, amigo, amiga?

Tô falando daquele brilho que tu vês (se prestares atenção) nos olhos do teu filho, sobrinho, vizinho, criança na rua ao acompanhar os passos das formigas carregando folhinhas em fila… Tão organizadas, responsáveis e incansáveis!

Lembra, amigo, amiga? Porque tu já ficaste tempo infindável admirando este movimento mágico dos bichinhos, das nuvens no céu, das ondas do mar lambendo teus pezinhos. Consegues lembrar? Tanto deleite, arrepio, alegria e prazer nesses momentos.. sem nenhuma cerveja, cigarro, elogio, dinheiro pra te “ajudar a curtir”.

O que aconteceu com tua capacidade de se maravilhar com a vida, minha amiga adulta, meu amigo adulto? Porque as formigas continuam sua marcha incansável, o mar continua lambão e as nuvens nunca pararam de se transformar nas formas mais incríveis! Sim, a gente cresce e desaprende muita coisa. Desaprende que a vida tá sempre acontecendo agora, e não em algum “futuro”. Desaprende que nosso planeta é um ninho de abundância que merece e precisa ser cuidado. Desaprende que é tão bom ser amigo das pessoas, dos bichos, das árvores, da lua e do sol. Desaprende que o corpo da gente é um contínuo milagre a ser descoberto, cuidado, curtido, respeitado. Desaprende que o espírito, a alma da gente, não é uma espécie de parente distante, que a gente sabe que existe mas que só vai encontrar depois de morrer.

Sim, amigo, amiga, os olhos da gente desaprenderam a brilhar. Mas a vida tá sempre aí, cutucando nosso coração pra gente lembrar que ela só vale a pena ser vivida se a gente reaprender a se maravilhar com ela de novo, a sentir, a amar, a criar, a compartilhar, a crescer.

Confesso, amigos, que meus olhos passam por períodos sem brilho e aí eu sinto falta, me incomodo e vou buscar o brilho de novo. E sempre acho! Quer uma dica? Começa pelas pessoas! Olha pra quem tá do teu lado no ônibus, no restaurante, na cama, na rua… Deixa que elas toquem teu coração.

Quando te chamo de amigo, amiga, não tô falando de uma convenção social. Tô fazendo um convite. Pode ser que eu seja a pessoa passando por ti na rua, ou te servindo o almoço no restaurante. Ao me ver, procura o brilho nos meus olhos. Se não encontrares, me pergunta: o que faz teus olhos brilharem?

2 comentários sobre “O que faz teus olhos brilharem?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s