Depois do café da manhã… Vamos ao almoço!

meat-dinner

Por Prem Milan

Gostei da repercussão e dos comentários de pessoas indignadas e bravas com as afirmações do texto anterior. E acho que fui até bem moderado. Porque exagero é a sacanagem que estão fazendo com a gente. E, sim, acho que temos que fazer algo a respeito de maneira RADICAL e URGENTE! Atualmente, a comida é um dos nossos raros preenchimentos. Só que ao invés de preencher o coração, ela preenche nossa barriga, nossa celulite e nossa banha. Mas enfim, vamos ao almoço…

O que preferes? Arroz branco ou integral? O branco é basicamente nada, simples assim. Puro isopor de qualidade. Porque ao “lapidá-lo” tiram tudo dele, todas as vitaminas. Ahh, os “Tio João” da vida… E olha que eu gosto de um arroz branquinho! Com o molho do bife, então… Deus me livre! Mas devo reconhecer que é vazio. O parboilizado até tenta ser um disfarce, mas é o legítimo engana trouxa. Então vamos falar sobre o integral: se orgânico, tudo bem! Agora, se não for orgânico (cerca de 99% não é), é apenas vitamina com tempero de agrotóxico. Se preferir, fale com qualquer plantador de arroz (se bem que eles estão mais espertos do que nunca). Se não conseguir falar, tente entrar nos seus galpões e você verá as embalagens de veneno.

Que tal aquele bife suculento? Não. Vamos ficar com a carne de panela caprichada, bastante comum no sul. A maior parte dos rebanhos de gado, hoje em dia, é tratada com ração e em confinamento. Os animais caminham pouco, pastam menos ainda e ficam lotados de comida. Conforme o lugar, os criadores dão cevada, massa de soja, entre outras “coisinhas”. Ah, e não podemos esquecer de mencionar as injeções! É vitamina disso, vitamina daquilo, tudo químico. Na sequência, o boi vai para os matadouros e sabe-se lá o que fazem para conservar sua carne… Ao vê-la na prateleira do supermercado você fica impressionado com a cor lindinha daqueles pacotes embalados? Você acha que aquilo é o que? É corante! Altamente cancerígeno!

Sou carnívoro desde pequenininho. E pela minha longa experiência, consigo perceber, sem esforço, o quanto é artificial o gosto dessa carne. Lá em casa, comprávamos gado de criadores conhecidos, apenas de pastagens. O sabor era outro, não tem comparação!! Não estou aqui para julgar se comer carne é bom ou não. E até concordo com os vegetarianos. Mas o churrasco sempre simbolizou os momentos em que a minha família se reunia para relaxar um pouco aos domingos. Raros momentos… Na época, minha referência de boa carne era outra. E nem vou citar o frango porque já falei sobre ele no café da manhã. Mas acho que vale ressaltar a relação entre o aumento do consumo e a crescente incidência de pessoas com câncer nos últimos tempos.

Mas voltemos à carne de panela. Nela, a cebola não pode faltar! Nem consigo mensurar o grau de intoxicação desta cebola. O que posso dizer é que, geralmente, os produtores usam o roundup, um pesticida (agrotóxico) que mesmo em pequenas quantidades causam danos sérios à saúde. E não sou eu quem afirma isso, são estudos comprobatórios. Ao passar o roundup na terra, as plantações ficam “lindas”, sem a “feiura” das ervas daninhas. Agora pense na força disso… O pimentão também agrega sabor ao prato em questão, não é? Pois saiba que, oficialmente, é o segundo “produto” mais envenenado. E aquele tomate bem vermelhinho?? É óbvio que os grandões vão dizer que é tudo controlado, dentro das normas, que nada faz mal… Conta isso pra outro! É claro que, ao plantar tomates sem agrotóxicos, como fazemos na nossa comunidade, por exemplo, a produção é bem menor. E pouca produção não rende grana, lucro…

Não estou preocupado em postular nada, fornecer fontes, ou provar qualquer coisa… Se não quer acreditar, não acredita. Particularmente, não vou ganhar nada com a sua crença ou descrença. Mas, por favor, ponha o seu cérebro para funcionar!

Depois de picar todos os ingredientes para a sua deliciosa carne de panela, vamos refogá-la, bem refogadinha, no óleo de soja. E é aí que me bate uma saudade da boa e velha banha! Sim, ela aumentava o colesterol, mas não era envenenada. óleos extraídos de fontes menos nocivas, como os de girassol e os de milho. É o que dizem por aí. Mas sei lá, pesquisa aí… E para o prato ficar balanceado e colorido não pode faltar aquela saladinha! Nas alfaces, geralmente, são utilizados herbicidas e fungicidas. Elas também são conservadas de maneira não muito natural para que durem mais tempo. E nessa ordem ainda entram repolhos, rabanetes, berinjelas… Light? Sim. Saudável? Hummm…

E se você quiser uma polenta para acompanhar o almocinho? Só se for de milhos transgênicos, ou seja, geneticamente modificados para aumentar a qualidade (oi?) e a resistência às pragas nas lavouras. Aliás, só a nível de informação, países como França e Alemanha proibiram o uso do milho transgênico. Nada de polentinha por aquelas bandas.

Depois desse rango esperto vem a sobremesa! Com açúcar, claro! Eis um dos piores venenos. Porque além de detonar o físico, detona o emocional. Eu sou viciado em açúcar, sabe. Fumei por 44 anos e consegui largar o cigarro. Agora o açúcar… Mais poderoso que a nicotina! E aquela coca gelada?? Se você insistir em tomá-la como água, merece a taça do suicídio lento e gradual. Pode te inscrever na Unimed porque o teu futuro será deles.

Só que existe saída para tudo isso. E a porta deve ser construída por nós. Precisamos deixar de consumir tanto lixo. Eu não sou boi para andar em boiada. Adoro ir no buffet e ver aquelas coisas lindas, mas é tudo engano. Estamos morrendo pela boca, principalmente por conta da nossa carência emocional. Ela faz com que nos atiremos na comida. Precisamos criar redes, núcleos e maneiras de produzir alimentos saudáveis, e dizer não ao veneno nosso de cada dia.

Lá na comunidade estabelecemos regras. Embutidos não entram! Refrigerantes também não. Açúcar? Tentamos diminuir ao máximo. Sal idem. Estamos fazendo nossa horta e plantamos frutas. Também fazemos nosso iogurte e queijo. E vamos crescendo juntos. Repensar essa questão é escolha sua porque existem opções mais saudáveis. Algumas são um pouco mais caras e trabalhosas, mas valem à pena. Eu já cansei de ver gente doente, lamentando o passado. E espero que isso sirva de lição para o futuro.

Um comentário sobre “Depois do café da manhã… Vamos ao almoço!

  1. Totalmente verdadeiro! Mudanças são urgentes e viscerais! Nunca tivemos hospitais tão superlotados e diagnósticos de doenças degenerativas cada vez mais frequentes !
    O lucro desenfreado precisa dar lugar ao bom senso, a humanidade está se deteriorando em suas estruturas!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s