O fracasso pode acontecer em qualquer relação

prisao-amor

Prem Milan

Pesquei essa frase em um comentário nas redes sociais. Aparentemente, ela é verdadeira… Mas só aparentemente! Nós continuamos a acreditar que uma relação tem algum lugar como destino, que tem um ponto de chegada, alguma conclusão. E este é o nosso grande equívoco. O amor acontece como uma grande provocação ao crescimento do homem e da mulher, ajudado pela natureza com a necessidade de se reproduzir para perpetuar da espécie. Esta seria a provocação biológica. Mas a verdade é que não há um lugar para chegar. Quem inventou isso?

Qualquer relação já é uma bênção. Ponto. Não importa que tenha durado apenas dois dias. Só o fato de podermos nos apaixonar por alguém já é um milagre. Um milagre que dá uma revirada profunda na gente quando isso acontece,que nos oferece uma possibilidade de transformação. Você sai do lugar comum, da mesmice, da tagarelice espiritual barata.

O relacionamento pode se aprofundar mais dependendo da situação. Eis a grande diferença! Quando falo em relação livre é porque percebo que ali há uma possibilidade muito maior de aprofundamento e crescimento! Agora, não tem um lugar para chegar. É uma arrogância do ser humano achar que se tem aonde para chegar.

A existência é muito maior que nós. Talvez ela queira que você fique um mês com uma pessoa para depois encontrar outra, e outra, e outra e sei lá. Nós queremos determinar as coisas para nos manter num caminho seguro e confortável, porém morto. Quer lugar mais seguro que o cemitério? É lá que o amor nas relações fechadas vai parar! Quando você mata o amor, você sente segurança. Você troca o amor por compromisso, respeito, lealdade, fidelidade. O amor de verdade é livre! Ele nasce da liberdade. Você se apaixona pela pessoa e não sabe se ela vai estar a fim de você.

Nós achamos que a liberdade é utópica. Isso é verdade somente para ratos. Por que o rato não consegue abrir a porta da gaiola e sair. Seres humanos, sim! São capazes. Se você perdeu essa capacidade, é outra conversa. E muitas vezes a gente a perde justamente por se comprometer tanto, se vender de tanto. Se o seu amor é real e verdadeiro, não é pelo fato do teu parceiro ou parceira sair com outra pessoa que vai acabar! Pelo contrário, se é real, ele sai ainda mais forte. E isso não significa longevidade. De que adianta ter um amor pobre minguado, a conta gotas, de muitos anos. Prefiro um amor de um ano que seja forte, abundante e tesudo!

Na real, temos um monte de justificativas para não encarar a real: “como eu ficaria se minha namorada(o) saísse com outra pessoa?” Se você não viver isto, nunca vai saber. E não estou escrevendo isso para agradar ninguém. Se você ficar puto, tudo bem…

Vou falar de 3 guampeadas, chifres, corneadas, enfim, como quiser, que levei.

1ª. Minha parceira fazia um jogo forte de sedução com outra pessoa e eu ficava puto. Trabalhei eficientemente como “back de buceta”. Cortava tudo o que era investida e durante dois meses eu era o melhor em campo. Cada “situação perigosa” evitada me sentia feliz. Que nem o Jeromel ou um Paulão fazendo um corte na goleira quando a bola tá entrando. Chegou uma hora que a zaga não aguentou, vazou… Na real, eu tava de saco cheio e em determinado momento eu disse: “olha, vai viver essa merda”. Não dormi a noite inteira. Foi a pior e mais rica noite da minha vida. Me dei conta de um monte de coisas. Chorei, esperneei. Fiquei remando por mais um mês, um mês depois nós estávamos juntos, e vivemos um amor ainda mais profundo. Eu tinha virado um pouco mais homem. E por incrível que pareça, não ficaram sequelas porque eu estava me trabalhando emocionalmente.

2ª. Uma outra vez foi difícil porque surgiu do nada, de uma estupidez. Talvez por isso tenha sido pior, justamente porque não tinha envolvimento emocional como na primeira vez. Eu cheguei em determinado lugar e vi minha parceira com outra pessoa. Talvez por ter vivido bastante, consegui chegar perto, olhar pra ela e simplesmente virar as costas. Minha reação normal teria sido ir pro pau! Mas me senti feliz por ter virado as costas e feito nada. E cara, não saí mal. Dois dias depois, por certas atitudes que ela tomou, eu consegui perdoá-la. Isso só contribuiu para o nosso crescimento. Eu posso falar de outras situações e também de quando eu agi do outro lado, tendo outras histórias. Todas elas não foram situações fáceis, mas foram transformadoras e provocaram o crescimento do meu ser.

Eu não tô aqui dando um “papinho frau” de quem não viveu! Aquele em que o cara quer mostrar que é aberto e espiritual. Eu vivi! Vivi grandes amores curtos e longos. Muitos amores, gente, muitos! Sou autoridade no assunto muito mais pela prática do que pelo meu conhecimento intelectual. Não estou aqui para me gabar, te convencer, te cooptar. Estou aqui querendo te ajudar a acordar! Porque o mundo está cada vez se tornando um saco pela falta de amor. Por esse monte de casalzinho carente e cagados de medo que, ao invés de viver o amor, vivem o desespero de não estar só. Todos poderiam estar desfrutando do amor e entendendo que ele é passageiro. Que vai te trazer riquezas e belezas, que por vezes passa rápido e em outras demora mais.

Entre no prédio de qualquer casal monótono, pálido e sem tesão. Perceba se há algum barulho de sexo vibrante! Pode escolher qualquer edifício! Se não for verdade, pode me denunciar, pode despejar todo o seu blábláblá, mas primeiro testa. Eu testei.

Uma informação de último momento: um amigo meu foi multado pelo condomínio por causa do ruído sexual que vinha do apartamento. Isso deveria ser denunciado por tentativa de assassinato dos primeiros sinais do amor!

O buraco é mais embaixo! Mas é possível encontrá-lo. O amor é possível de ser vivido. O amor é atemporal, o tempo pouco importa. Sua profundidade é o que define sua qualidade.

OBS: Não contei todas as minhas guampeadas, mas se você quiser se divertir, vem falar comigo pessoalmente…

3 comentários sobre “O fracasso pode acontecer em qualquer relação

  1. “O amor é possível de ser vivido. O amor é atemporal, o tempo pouco importa. Sua profundidade é o que define sua qualidade.”
    E como se tem de se trabalhar para poder estar aberto ao amor, a viver a verdadeira entrega do amor… e compartilho que falo isso por experiência também… Não é fácil parar de REAGIR as situações e passarmos a AGIR com toda nossa essência vibrando, sem o maldito inconsciente se atravessando e confundindo tudo… inclusive a nossa peseudopercepção de nós mesmos, nossa pseudoverdade! Desbravando nossos emaranhados, aí sim, se poderá estar sensível ao amor e desfrutá-lo de maneira real e feliz!

  2. Já tentei ter a experiência do poliamor com a minha ex. Éramos um casal monogamico e ela era bastante ciumenta. Na época acreditava que eu seria competente em chegar nesse nível que tu colocou, de saber dela saindo com outros e transando com outros e eu estaria numa boa. Na verdade acabei transformando a relação apenas em um relacionamento aberto e no primeiro momento que soube que ela transou com outro (sendo que eu tinha sido o primeiro e unico até entao) não consegui segurar o meu ciume, o meu machismo e a minha decepção Decepção não tanto com ela mas mais comigo por não conseguir alcançar esse objetivo de amor livre que eu considero ainda um ideal. Mas a nossa sociedade nos educa e nos impõe que sejamos presos. Atualmente vejo que amo e quero estar com a minha ex. Não sei o que fazer.

    • Legal, Frederico, que sejas tão corajoso e honesto em admitir teu limite, ao invés de criticar o amor aberto e livre, como faz a grande maioria das pessoas. Continua sendo corajoso pra baixar a crista de galo e se render pro que tu sente: teu amor! Tem que ser muito macho pra bancar o que tu realmente sente e transcender o machismo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s