O PT trocou o amor por dinheiro e se ferrou

download

Por Prem Milan

Não fique muito faceiro porque você faz o mesmo! Você troca o amor por segurança. E por outras coisas mais que podemos falar no decorrer do texto. Eu começo com essa questão porque, segunda-feira, 8 de dezembro, houve a abertura da Gincana Namastê. Quem tem olhos pra ver, enxerga como é nítida ali a capacidade pro amor e pra entrega. O amor que as pessoas colocaram naquelas apresentações é algo simplesmente contagiante. Tocante. E, no meio do espetáculo, como todos os anos, vem a brigada nos encher o saco, mesmo a gente tendo a autorização da EPTC. Questionando o brigadiano o porquê do empecilho, ele disse “tem gente que liga direto aqui pro comandante, aí nós somos obrigados a vir”. O jogo de influência vem sempre na frente dos direitos dos cidadãos.

Mas voltemos ao que interessa. É preciso um amor muito profundo para fazer aquela apresentação. Meio indignado com o acontecido, eu peguei o microfone e fiz um comercial bem bonito: “Obrigado Petrobras. Por nunca ter dado dinheiro ao Namastê. Obrigado Gerdau por nunca ter nos ajudado, obrigado RBS por nunca ter divulgado, obrigado aos planos de governo de cultura por nunca ter nos ajudado!”

Este é o nosso espírito. Cada pessoa que participa da Gincana racha todos os custos das fantasias e outros materiais. Cada um tem uma cota igual. Para participar disso aqui você tem que ter amor, e não ser miserável! As pessoas estão se cotizando e dando um monte de energia. Durante várias noites ficam até 3, 4 horas da manhã criando, ensaiando… E no dia seguinte estão felizes por estarem preenchidos, eles não acordam mal-humorados. Eles têm orgulho daquilo que estão fazendo. Por isso vão à rua, para dar este presente a você.

Eu sei que você valorizaria muito mais se fosse o bola da vez, a gostosa da moda. Esses seres de plástico que não sentem nada e fazem as coisas por quantidades polpudas de grana e te passam uma noção equivocada do que é amor, do que é emoção de verdade. Aqui, tem gente sentindo de verdade. As lágrimas, quando acontecem, são reais, os medos são reais, o amor e a alegria são reais… Eles treinam sim, a sincronia, os movimentos, a beleza. Mas o sentir não!! O sentir vem de uma escolha e também de um trabalho de se abrir. Eis a diferença!

Lamentavelmente eu sei que você prefere as praias lotadas de Garopaba, o Rosa e a Guarda, com muita maconha, cocaína e trago! E mais algumas coisinhas na veia para aqueles que não conseguem disfarçar a frustração e precisam de coisas mais fortes.

Há 13 anos, o meu lugar é no Cantagalo. Com esse time de gente que sua, gente que vibra, gente que tem a alma nua! O sabor é outro! Nós não somos beatos. Droga não entra, se pintar com droga vai ser enxotado. Cerveja e alguns traguinhos, tudo bem, mas ninguém fica de porre para festejar. Muito amor e muito encontro, isso sim! A gente na Gincana NAMORA muito, mas muito mesmo! Esse é o nosso esporte predileto, feito com inocência, com amor e com abertura. E nós podemos falar porque não somos pessoas pornográficas, não precisamos esconder nada, nossas relações são limpas, claras.

Compartilhar nesse nível é outra coisa. Mas, se não é a tua praia, faz o habitual e troca alegria e espontaneidade por ilusões; troca aventura por caminhos canalizados, depois reclamem por todas as coisas.

Ou então você pode vir para cá, mas aqui você vai passar por um processo. Você vai sentir muito, e talvez isso dê novos rumos para a tua vida, porque aqui a gente tem conteúdo. Aqui a gente vive o amor, não dos beatos, dos espiritualistas, porque o amor é um movimento ousado que muitas vezes move alegria, tristeza, raiva, transformação…

Agora voltando ao PT lá do título, dói na minha alma… eram vários garotos que, como eu, amavam o PT e o LULA… Me lembro até hoje. Fazíamos qualquer coisa porque nós acreditávamos. No começo, em 81, 82, éramos muito poucos. Cada carro que passava na rua com uma propaganda do PT era quase uma festa. Eu contava em POA quantos carros via num dia. Para tudo nós puxávamos dinheiro do nosso bolso. As primeiras bandeiras eu paguei do meu bolso. Eu fiz na costureira. E depois conheci milhares que fizeram isso na campanha de 89. Isso começou espontaneamente, o PT não fazia bandeira, era nós que fazíamos.

Em 89, nós não recebíamos um centavo para estar na esquina com as bandeiras, íamos por amor. Noites inteiras colando cartazes, sem vinculação nenhuma com candidato. Hoje, pagam e mandam os cargos de confiança com cara de cu nas esquinas. Antes era alegria, discussão, amor. Agora são bonecos pagos ou beneficiados, com pau na mão.

Em 89 a população brasileira abraçou a campanha “Lula Lá”. Aquilo era lindo. Em Porto Alegre tinham 20 ou 30 carreatas espontâneas não organizadas pelo partido. O momento mais emocionante foi Gil, Caetano, Milton e Chico cantando “Lula lá”. E para nós, gaúchos, foi o comício puxado por Lucélia Santos, onde chorávamos de emoção aos milhares, com Lula, Brizola juntos e mais o amor de 100 mil pessoas por um sonho. Quer coisa mais bela?

Agora liga na novela da Globo.

Perdemos para o dinheiro da corrupção… O que dizer dos companheiros de hoje que estão junto com o Collor? Tenho vontade de vomitar. Vocês abusaram! Sarney, Calheiros… Nossos estômagos não aguentam mais! E, depois, Lula perdeu para as manipulações e corrupção de FHC e seu maravilhoso PSDB. Aí, Lula e cia lamentavelmente viram que o amor não vence o dinheiro, não vence o preconceito, não vence a cafajestice. A lição está nos ensinando que o caminho para chegar a algum lugar é tão importante quanto o objetivo. Caminhando por trilhas escusas, o objetivo acaba ficando escuso. Infelizmente resolveram adotar o método da política de sempre: cheia de jogos, deixando o amor de lado, trocando benefícios para chegar ao poder. Só que ao adotar posturas assim, eles invadiram seus próprios inconscientes. E lá dentro a corrupção achou o combustível perfeito para se alastrar de uma forma lamentável.

Não adianta dizer que o pessoal do PSDB é pior. Isto não basta. Precisamos ser diferentes. E não estamos conseguindo!

Ex-companheiros! Por justiça a milhões de corações que acreditaram, resgatem essa história! Parem e olhem a grande MERDA que estão fazendo, a grande DECEPÇÃO que estão causando. A grande traição ao amor daqueles garotos, hoje homens. Eu me sinto extremamente traído. Só que eu não desisti do amor! Onde estiver uma chama do amor, eu estou. Parei com a militância direta em 90. Acreditei até o segundo governo de LULA, mas busquei caminhos fora da política. Desde 87 venho fazendo a revolução em mim mesmo.

Eu sei que todos os venenos que corrompem o ser humano estão aí. Quem voz fala é aquele cara que junto com alguns amigos de faculdade, lançou aquela campanha de pôster do Chaplin, do Che, do Lennon, entre outros, em 1979, para juntar fundos para o PT. Campanha em que todo mundo se engajou pra vender. E quem comprava, comprava pelo gostinho de estar fazendo parte de uma causa justa, bonita.

Naquela época, de 79 a 82, não sei quantos foram vendidos. Talvez milhões. Era muita gente se engajando em todo o Brasil. E gerava muita grana, dinheiro limpo, tostão por tostão de milhares de pessoas. Esse dinheiro vinha com a energia do amor, da alegria. Suficiente para coisas básicas. Eu sei que as empreiteiras dão mais, mas eu considero sujo. Pode ser legal, mas é imoral do ponto de visto do amor e da dignidade. O dinheiro dos tostões só trouxe coisa boa.

A multinacional que detinha os direitos autorais de um dos pôsteres, nos encontrou 5 anos depois, e não queria nos processar… Queriam saber como a gente tinha conseguido criar uma rede invisível, vendendo pôster no anonimato. Pois tentaram nos achar e nunca conseguiram. Na época eu ri… Disse que nós eramos malandros. Sabe o que eles fizeram? Me ofereceram os direitos autorais do Garfield na época para divulgar em todo o Brasil.

Podia ter ficado rico. Mas sabe qual foi minha resposta? “Não estou interessado”! Não ia fazer nenhuma diferença na minha vida. Eu precisava de amor, não de dinheiro. Virei as costas e fui. Depois fiquei pensando em como o amor é forte, como nos protegeu durante todo esse tempo.

Você Lula. Eu te conheci e muita gente te conheceu tocando nossos corações. Você é um cara incrível. Chorávamos nos teus comícios, nas fábricas. Você tocou profundamente o coração de milhões de brasileiros com sua simplicidade. Sua trajetória é de uma dignidade sem precedentes na história do Brasil. Você foi o presidente mais querido deste país. E talvez o mais competente. Por favor, não deixe a omissão manchar seu currículo. Você está se omitindo nesses escândalos todos. Pare com isso! Não manche essa trajetória fantástica que você teve. Admita seus equívocos, seus erros e acabe com essa corrupção. Eu sei que apenas a partir dos teus governos é que a polícia federal pode investigar, inclusive os próprios governantes. Antes isso era impossível! Mas isso não nos dá o direito de hoje fazer vista grossa para os fatos! Seus méritos são méritos. São atribuições, são conquistas, mas não são salvaguardas para cometer erros, assim como o fatos de vocês terem melhorado muito a economia do Brasil nos primeiros anos, não vos dá o direito de agora afundá-los. E nem mesmo, aos nossos companheiros, de tirar vantagens de certas políticas econômicas. Esses créditos tem que ser dado como méritos. Tem que ser festejados e alardeados, mas tem que parar por aí.

Então, LULA & Cia. Ltda, por favor, façam “mea culpa” e limpem toda essa merda. Paguem as suas dívidas por seus erros. Resgatem o amor que existia no sonho de uma causa. Nos devolvam isto. Por que nós, em milhões, lhe demos esse poder. Retomem o caminho do coração no PT e em suas vidas. Nossos filhos e amigos terão orgulho. Saiam desse jogo ridículo de poder. Larguem essa merda de status. Como puderam se juntar a tantos cafajestes?

O PT de São Paulo é podre! Aliás, São Paulo produz mais reacionários do que a indústria automobilística produz carros. Eu tenho orgulho do PT – RS porque conheço Olívio, Raul e Tarso e sei que corrupção com eles não cola. São limpos. Mas, sim, fizeram outras grandes burradas porque também viraram as costas ao amor.

E se quiserem, posso ajudar bastante, assim como tantos daqueles garotos que amavam. Terão muitas dicas de como criar algo com amor gerando dinheiro limpo.

E para você que está aí sentado, talvez julgando, perplexo ou mesmo feliz por alguém estar falando isso, eu ensinei uma frase para o meu neto Caetano: “move your ass”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s