Oba!!! É carnaval!!!

Carnival mask

Por Prem Jwala

Hora de encher a cara, se divertir, cair na putaria, fazer tudo aquilo que você não fez o ano inteiro, transar com quem quiser, soltar o controle, fazer loucuras!!

Pra na quarta-feira de cinzas, ao meio dia, voltar à sua vida normal e fazer um monte de coisas que não é a fim para então poder, no próximo carnaval, se soltar novamente.

Você não acha que tem alguma coisa errada?

Parece que todo o seu tempo para curtir a vida se resume a estes quatro dias em que você pode relaxar, mas nem sempre consegue. Nós não sabemos relaxar espontaneamente. Temos que encher a cara para nos divertirmos e nos tornarmos espontâneos para aí chegar nas pessoas com quem queremos transar sem culpa.

Imagina uma dessas festas sem bebida alcoólica? O índice de “ficadas” ou de “amores de carnaval” cairia quase a zero. Sexo então, nem pensar! Imagine! As pessoas dançando sem estarem bêbadas? Isso sim seria um porre, certo? Pense numa cena do inferno: uma festa sem bebida, luzes aumentadas ao ponto de conseguirmos olhar uns nos olhos dos outros, música um pouquinho baixa, convidando para uma conversa.

Bah, aí acabou a festa. Imagine aquele papo super interessante:

– Oi, tudo bem?

– Tudo.

– Qual é o seu nome?

– De onde você é?

– O que você faz da vida?

E daí não tem mais pra onde ir. Imagine essas cantadas típicas super ensaiadas, sem o cara estar “no brilho”!

Que tragédia!

Isto é o retrato de como a maioria de nós leva a vida. Se contendo, se reprimindo, fazendo coisas chatas, mantendo relacionamentos pobres, amizades superficiais e trabalhos que não fazem o menor sentido pra alma. Aí pra se divertir só se “chapando” mesmo, porque é impossível relaxar de verdade com a tensão que vivemos em nosso dia a dia. É impossível que sejamos pessoas divertidas, se no fundo nos sentimos profundamente sós e frustrados. É melhor fingir que isso não está acontecendo. Mas você sabe, no íntimo, que isto te corrói. Só que é sempre mais fácil, mais aceito esquecer essas dores e fazer tudo de novo no dia seguinte.

O mais louco é que todo mundo acredita ser o único a se sentir assim. Parece que todos estão bem, só você que não. Mas no fundo, no fundo, estão todos na mesma, meu caro.

Digo isso porque cansei de me deitar sozinho e frustrado, achando que todos os meus amigos se davam bem, e que eu era o único bosta que não dava certo. No entanto, hoje eu vejo que todos sentiam o mesmo vazio, a questão é que ninguém mostra.

Não temos energia pra nos divertir e preencher espontaneamente porque estamos tão cheios de sentimentos guardados, de dores que não choramos, de raiva que não colocamos pra fora, de amores e tesões que não vivemos, que não sobra espaço para mais nada. Nossos corpos são tão tensos e rígidos que é impossível ser leve e fluído para fazer as coisas. Isso quando já não estamos detonados com hérnias de disco, dores pelo corpo e todos outros problemas físicos que vemos por aí em tanta gente.

Por ter praticado inúmeros trabalhos terapêuticos e sacudido os meus medos, bloqueios e repressões, hoje eu consigo me divertir sem ter que encher a cara. Moro num lugar em que tem festa sempre, em que a gente dança pra caralho, se diverte até as cinco, seis da manhã e depois ainda tem energia pra transar. E não tem NINGUÉM, leia bem, NINGUÉM caindo de bêbado. Você pode ficar puto e achar que é arrogância minha, ou se tocar de que tem gente fazendo tudo de maneira mais natural, humana, sensível e apaixonada que você.

Se quiser isso pra tua vida, procura saber mais, se não… Um beijo e um abraço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s