Adolescência e maioridade da ousadia de criar a vida

Aniver Comunidade

Por Prem Milan

Setembro de 2015. A comunidade Osho Rachana completa 11 anos e o Namastê 18. É um dia de glória destes lugares que buscam sempre explorar novos caminhos, novos espaços, que de fato estamos vivendo de uma forma diferente, que de fato estamos buscando encontrar um amor de uma maneira mais verdadeira e profunda. Estamos vivendo e descobrindo nossa sexualidade, criando novos caminhos, novas alternativas. Nós estamos criando para nós e possibilitando que os demais também possam ter. Nós não queremos ser uma unanimidade, longe disso, nós queremos criar a nossa própria história, não mental, física, concreta. Hoje a comunidade Osho Rachana é 70 por cento autônoma de alimentação orgânica criada por nós mesmos. Além de ecológicos nosso foco maior está na sexualidade e no coração. Comida limpa, ar puro, natureza bela, sexo vivido e amor experimentado. Passamos por dificuldades e questionamentos por momentos, estamos aqui por escolha. Muitas pessoas ficam com inveja mas existe uma grande maioria que tem uma admiração pela nossa coragem e ousadia. Obrigada! Realmente tivemos coragem de romper com nossos próprios padrões, nossa acomodação, para descobrir como é bom viver numa comunidade, fazer bioenergética, fazer meditação do Osho, fazer AUM. Tem-nos trazido uma qualidade de vida excelente e é esse tipo de qualidade que a gente quer. Tem pessoas que não querem esse tipo de qualidade, preferem outro. Tudo bem. Nós não queremos impor isso para ninguém. Nossa comunidade está lotada. Que bom! Estamos de porta aberta para partilhar a nossa experiência, o nosso amor, a nossa alegria com vocês também, e essa é uma história de luta com muitas frustrações, muitas decepções, muitas alegrias, muitos êxtases. Estamos felizes por existirmos. Nossa comunidade, nossa atitude com o amor e com a sexualidade não está em nossas cabeças, está numa vida real. Tentamos viver cada vez mais a liberdade do amor. E quer coisa mais bela do que dar liberdade ao amor? Se você não concorda ou não consegue, tudo bem, para nós também foi difícil. Não é uma regra para todo mundo, é para aqueles que querem. Se você quer estar casado ou ter uma relação fechada é tua escolha, como diria o Caetano cada um sabe a dor a e delícia de ser como é. Na nossa experiência temos tido mais delícias, mas também dores e a dor cada vez tem nos gerado mais crescimento, e a delícia tem nos impulsionado para querer mais da vida, para sonhar mais, voar mais alto. Nós não estamos aqui só para pagar as contas, estar seguro, ter conforto. Nós queremos mais vida, mais excitação, mais desafios, maior conhecimento a respeito de nós. Isto é ofensivo a alguém? Lembro-me do Fernão Capelo Gaivota quando ele foi jogado ao centro da roda, o que há de errado em voar mais alto e conhecer novos céus? Eu simplesmente quero partilhar com vocês meus irmãos das minhas descobertas, não quero obriga-los, quero apenas partilhar meus voos para céus estonteantes que conheci, dos mergulhos profundos que eu dei e dos saborosas peixes que encontrei em aguas mais profundas. Há algo de errado nisso? (Fernão capelo gaivota de William Bach)

Esta é a nossa aventura! Queremos experimentar viver de forma diferente com nossos filhos, nossos amores, nossos amigos. Ter uma relação de amizade diferente! Quantas pessoas nesses anos já passaram por aqui? Conexões que trouxe para suas vidas, experiência. Mesmo aqueles que partiram tem lembranças dessas conexões. Cada um escolhe caminhos diferentes, tudo bem. Nós também escolhemos transformar. A comunidade cada vez muda mais. Tivemos várias fases diferentes, mas crescemos, estamos cada vez mais maduros. Essa comunidade não está nas nossas cabeças está ali na rua Anielo Feula 1540 no bairro Cantagalo. É concreta e está de portas abertas para todos aqueles que querem partilhar. Não é a única forma de vida não, esta é a nossa maneira. O Namastê também não está na nossa cabeça, está ali na Rua da República 528. Este lindo prédio que é concreto, objetivo. Muitas vezes não é fácil criar algo diferente, não é fácil as pessoas aceitarem isso. É história mundial: Joana D’arc, Giordano Bruno, Galileu Galilei, Charles Chaplin, Willihelm Reich, Che Guevara, Osho e por aí a fora. O novo sempre mexe com o velho e muitas e muitas vezes entra em contraposição e isso é belo! É isso que faz as coisas evoluírem, crescerem. Nós temos opiniões sobre muitas coisas sim e é bom que as pessoas tenham opiniões e as defendam, isso é saudável, isso é ter poder, isso é ter liberdade. Nós não nos escondemos no anonimato, nós defendemos claramente a vivência da sexualidade e estudamos, ousamos, experimentamos, estamos criando um conhecimento, estamos desenvolvendo formas, maneiras de como nos aprofundar nisso, como ligar mais profundamente como coração. Essa é uma caminhada e uma jornada fundamental para nossas vidas. Nós somos muito orgulhosos disso sim, por que nós lutamos por isso espaço por espaço, tivemos muitas vezes que enfrentar oposição da família, amigos, namorados, namoradas, corremos riscos, passamos por medos. Muitas vezes questionamos: será que estamos viajando? Será que não estamos equivocados? Mas cada vez mais temos certeza de que juntos nós estamos criando algo muito belo, muito doce. Quando nós vimos a nossa volta nossas criações, quando olhamos para o que nos cerca, isso nos dá absoluta certeza de que estamos no caminho. Onde vamos chegar, não sabemos. Mas estamos indo, sentindo cada passo, cada momento, fazendo desse próprio caminho uma aventura, uma alegria. Aceitamos nossas dificuldades e nossas dores como aceitamos o presente que a existência está nos trazendo. Esse é um caminho que muitos ajudaram a construir. Muitos que até não estão mais conectados e que resolveram seguir outros caminhos. Alguns com mágoas, ressentimentos, outros por escolha. Mas este é um caminho que está acontecendo. Somos uma referência para muitas pessoas e um refúgio seguro para aqueles que necessitam se reequilibrar e se reencontrar. Não sonhamos em mega expansões, não sonhamos em ter milhões de adeptos, companheiros no facebook. Não! Um milhão de amigos deixa pro Roberto Carlos. Nós queremos é degustar a vida seja na sua amargura, na sua doçura, na sua suavidade, na sua rispidez. Não queremos evitar nada, queremos navegar por todos os espaços aceitando tudo o que acontece. Estamos buscando a nossa luz, estamos muito felizes porque pouco a pouco estamos conseguindo na prática viver esse texto creditado ao Nelson Mandela:

Nosso grande medo não é o de que sejamos incapazes.
Nosso maior medo é que sejamos poderosos além da medida. É nossa luz, não nossa escuridão, que mais nos amedronta.
Nos perguntamos: “Quem sou eu para ser brilhante, atraente, talentoso e incrível?” Na verdade, quem é você para não ser tudo isso?…Bancar o pequeno não ajuda o mundo. Não há nada de brilhante em encolher-se para que as outras pessoas não se sintam inseguras em torno de você.
E à medida que deixamos nossa própria luz brilhar, inconscientemente damos às outras pessoas permissão para fazer o mesmo.

Vivendo a nossa verdade estamos dando permissão para você viver a sua também!

Neste final de semana venha desfrutar conosco a comemoração do nosso aniversário com torneio de futebol feminino e masculino, teatro, festa, muito amor e alegria. Lá na Comunidade Osho Rachana. Quem estiver a fim liga para a gente no Namastê 32867485.

Convidamos a todos também para a celebração do Aniversário do Namastê nessa sexta feira, dia 25/09, às 20h no Largo Zumbi dos Palmares. Apresentação do teatro de sombras “EuProjeção”. Te esperamos!

Sem tesão não se chega ao coração

couple-boudoir-photography-ideas

Por Prem Milan

Na real eu estou empacado há duas semanas para escrever o próximo texto. Porque eu não quero ser apenas um sujeito planfetário, e sim poder lhe dar uma compreensão básica, intelectual e emocional para que você venha a se interessar de verdade em viver a sua sexualidade. Que você tenha real interesse em questionar suas atitudes, seus valores. Não o que você pensa, mas o que você vive.

Para mim o que interessa é a vida. Eu não estou interessado que você diga: “legal o texto do Milan”, estou interessado que minhas palavras ecoem em teu coração e levantem teu pau e umedeçam a tua vagina, porque isso significa tesão! Já há muitos anos atrás o Roberto Freire dizia “sem tesão não tem solução”, o que eu concordo ipsis literis. Mas eu incluiria que só com tesão não se vai muito longe, não.

Mas é verdade que a tesão é a matéria-prima da qual você nasceu. A tesão sexual é a tesão por um projeto, a tesão por um sonho, a tesão por uma aventura. É a força para sua realização como pessoa. A expressão da tesão não é alguém encurvado se arrastando pelo chão ou um mister simpático, miss simpática. São seres que olham para as pessoas de frente, não são seres que ficam de blablablá, tagarelando pelas costas nos botecos.

Tesão é o contraponto do medo. E a nossa tesão foi bloqueada pelos preconceitos religiosos, morais, pela porra do relacionamento seguro. Por esses contratos estúpidos, sejam eles católicos ou new age, modernos ou atrasados, pseudo-espirituais ou pervertidos.

O sexo é a porta de entrada para o coração. A casa é o coração. A porta para entrar na casa é o sexo. Você é obrigado a passar pela porta. Você não pode viver na porta, mas tem que passar por ela. E ela é muito boa. Ela é muito alegre. Se eu falar para você que transar todo dia é bom você vai dizer: “é demais!” Dormir 8 horas por dia não é demais?! Você admite coisas absurdas, como ficar 2 horas na internet e estou pegando leve. Pra isso eu tenho capacidade, mas transar 1 hora por dia não! É demais, cansativo… Então você não sabe nada de sexo, porque sexo é regenerador, revigorador. Se você usa o sexo como descarga, aí sim, você vai cair num buraco logo mais. Esses são os canais propostos pela nossa sociedade: ou a repressão e a dessexualização, ou a descarga. E não a elevação com o sexo, o encontro de duas energias que geram uma explosão. Isto não acontece porque nós desconhecemos o sexo. Nós desconhecemos a capacidade e as possibilidades.

Você, homem, não precisa ejacular. A ejaculação acontece porque você não aguenta mais, não suporta mais toda aquela energia, porque a tua vida está pequena e limitada. Se aquela energia extra for liberada em você, você vai acabar quebrando os padrões limitrados da sua vida. Talvez não caiba mais no seu emprego medíocre, nas suas prestaçõezinhas, no seu “relacionamento” seguro e morno. Porque “relacionamento” é casamento. É uma nova versão. Hoje em dia boa parte da população acha feio, horroroso casar. Agora o “relacionamento” é o novo nome daquele casamento. Que nem uma casa que você nem lixa direito as paredes, pinta por cima, parece que está bonito, mas quando chega mais perto é horrível.

Nos outros artigos eu falei muito das possibilidades da energia, te trouxe muitos conhecimentos. Agora homens, falando direto com vocês, pare uma vez para pensar se você tem orgasmo. E eu tenho conhecimento que 99,5% de nossas transas não têm orgasmo. Os sintomas disso, se você quer saber, é um riso, uma alegria, um aumento da energia. É se sentir que nem o incrível Hulk, que você não cabe mais no seu corpo, que você está rasgando, lembra do Hulk? Essa sensação, uma vontade profunda de fazer mais, de viver mais. Orgasmo não tem nada a ver com descanso. Não tem nada a ver com dormir, pelo contrário, ele te liga. Descarga sim, se você descarregar um caminhão de tijolo, no fim você vai deitar, dormir e roncar feito um porco, porque você fez uma descarga física. Orgasmo é um somatório de energia que cria um ápice. Porque não ter orgasmos, homens? Porque você vai perder o controle dessa vidinha pequena, você vai se derreter para a sua parceira, você vai querer mais da vida, você não vai mais querer ser apenas um provedor, você não vai mais suportar baixar a cabeça para os professores, ditos sábios, pais, mães, patrões, rede globo, e por aí afora. Você vai querer se aventurar mais na vida. Você vai querer ir ao encontro daquilo que você gosta.

Mas aí vem o medo, porque desde criança tudo é perigoso… subir numa árvore é extremamente perigoso, parece que morrem mil crianças por ano porque subiram em árvore, mais 5 mil porque jogaram futebol na rua, mais 5 mil ficaram aleijados por correr, dar cambalhotas! É essa cultura do medo que faz com que nos escravizemos. O homem vira macho só no machismo para subjugar as mulheres, porque as mulheres permitem isso desde criança, tem que ficar na volta do pai porque ele nunca tá em casa, porque ele nunca está aí, porque ele é o grande Deus que provê o alimento sagrado e as meninas aprendem que qualquer migalha daquele senhor é a oitava maravilha do mundo. É um terrível pacto com a pobreza que as mulheres tem, as quais são as maiores vítimas da falta de orgasmo masculino. Porque, para elas, o que é passado são as frustrações, a raiva reprimida, a dor reprimida e muitas vezes os homens se tornam uns escrotos e as mulheres ficaram detonadas.

Mas foi isso que aprenderam com seu pai e nós reproduzimos assim toda essa sociedade. Ora mulheres, vocês tem se acostumado a não ter orgasmos ou ter orgasmos superficiais porque, em trepadinhas de 20 ou 30 minutos, não tem nenhum orgasmo profundo, não! O que tem ali são descargas vaginais que te mantém ali deprimida mas com um consolo, “pelo menos eu tenho um homem”. Grande coisa! Você tem alguém ocupando a vaga para acabar, no futuro, talvez não tão distante, numa farmácia dessas comprando o seu remédinho para depressão.

Homens e mulheres, é hora de sair desse pacto medíocre pelo pequeno, pelo menor. Porra, tem tanta alegria na vida, tem tanta coisa legal, porque que a gente vive tão pouco, porque tanto medo? E, pior de tudo, eu vi uma pessoa um dia desses que tinha umas olheiras tão profundas, parecia que ele tinha pintado de preto. Me desculpe, mas o corpo fala a verdade. E o pior de tudo é que o cara até acha que está bem. Os espelhos não funcionam mais!

É hora de romper com isso e buscar saídas alternativas. Eu não as tenho prontas, esse é o caminho de cada um. Eu busquei na minha vida aquilo que me fez romper com padrões, ativar minha energia para resgatar minha sexualidade. Agora, não é sentada no boteco na cidade baixa, enchendo a cara de trago (agora com cerveja orgânica e maconha natural) que você vai resgatar a sua sexualidade. E nem nesse papos furados, imundos e escrotos da internet, onde rola a grande mentira, todo mundo só fala abóbora… “Status de relacionamento”, ninguém bota ali “fodido, rejeitado, estrupiado”. Não, todo mundo de carinha bonita, “olha a mercadoria”…

Você tem uma vida pela frente. E ela está acabando, Mercedes Sosa já dizia: “El tiempo es veloz” e é, ah é!

E o mmedo que surge quando a gente conecta um pouco com a sexualidade são só fantasmas, são irreais. “Vou me perder no sexo, vou ficar louco”… Perdido você já está, está perdendo a possibilidade de viver mais amorosamente, mais energeticamente. A sua chance ao encarar o potencial da sua sexualidade é de se encontrar. Porque inevitavelmente você vai chegar no coração. E nesse caminhar a gente vai descobrindo as armadilhas que a gente cria para a gente mesmo, pra encaixar num mundo que não aceita pessoas livres e amorosas.

Então, saiba que você está transando muito menos que deveria, bem menos. É hora de acabar com esse pacto de mediocridade, buscar conhecimento onde realmente existe, buscar inspiração em quem realmente é inspiração. Buscar ajuda em quem realmente pode ajudar. Ter coragem para assumir os riscos das quedas, porque elas também existem. Isto é vida. E gostaria de acabar com um cara bala: “Coragem, coragem, eu sei que você pode mais!”

Mete bronca neles, Raulzito!

A minha digitadora respirou fundo e disse: “transar todos os dias”… Sim! Mete bronca, Anandini!