Suas safadas! Vão para um psiquiatra ou para um padre!

latuff

Por Prem Milan

Onde é que essa gente pensa que está? O que eles querem da vida?

Nós, que acordamos toda maldita manhã e vamos para os nossos trabalhos, pagamos nossos impostos em dia (com desconto, quando dá) e agora nem multa mais temos no carro para ter desconto. Nós, que frequentamos shoppings, cinemas, restaurantes. Nós, que respeitamos uns aos outros, criamos nossos filhos, levamos eles a faculdades, garantimos que terão bons trabalhos, bons empregos. Nós, que sacrificamos a vida inteira para construir essa vida! Nós, que fazemos ainda mais sacrifícios para ter as nossas televisões de LCD, compramos colchões modernos e à noite não podemos dormir sossegados tendo que ouvir umas vagabundas gemendo, gritando! Como ousam? As brigas lá do terceiro andar ainda vai, ainda passa! Aquele desgraçado daquele cachorro a gente atura, aquela televisão alta também faz parte. A música idiota que aquele cara ouve, sim! Aquele cara batendo na mulher ou nos filhos regularmente. Agora, barulho de sexo?! Nós não suportamos!

Vou pedir pro Fortunatti fazer uma lei pra cortar o clitóris dessas mulheres porque é um absurdo ter que nos lembrar todo dia que existem esses gemidos! Enquanto a gente se fode, essas pessoas tendo prazer? Que ódio!

São mesmo umas mal educadas. Eu tomo meu antidepressivo e não incomodo ninguém, nem a minha mulher. Pelo amor de deus, síndico, triplica a multa! Só cento e vinte reais? Eu tive que passar o dia inteiro pensando que eu tinha que praticar esse tipo de coisa que, só de pensar, eu já fico em pânico. Então fui ao meu psiquiatra e ele aumentou a dose. A que ponto chegamos!

E essas gurias vieram reclamar de uma multa às quatro da tarde! Veja bem, em pleno horário comercial e elas praticando sexo! Ora, de tarde, quando a gente quer, tem uns inferninhos, tem um ali na Demétrio Ribeiro que eu conheço, tem outro ali na Câncio Gomes. Agora, num prédio familiar, praticar sexo? E nossas crianças ouvirem aqueles barulhos? Prefiro que eles fiquem em frente à TV vendo tiros ou as granadas explodindo naqueles jogos. Pelo menos não vão se perverter!

Aí eu vou perder minha vontade de trabalhar – e eu tô lutando pra completar 35 anos de trabalho pra poder me aposentar e (aí, sim!) curtir a vida. Tá certo que eu tô velho, mas inventaram o viagra e isso é uma tecnologia que vai nos ajudar. E a nossa sociedade ainda é bem organizada: nós, através do síndico, conseguimos chegar ao dono do apartamento e vamos expulsar essas vadias. Ah, vamos! O silêncio cristalino e purificador vai permanecer no prédio. As nossas crianças não vão ter de lembrar que existe esse tipo de coisa e nem nós porque isso aí tira o foco do trabalho, tira o foco da família. Se quer ter prazer, vá a um bom espetáculo: agora tem Porto verão Alegre! Belos espetáculos de teatro, música… vá a um bom restaurante, a gente pode indicar um. A gente sabe que o sexo é perigoso. Quando você tem mais experiência, você vê que aquelas coisas são ímpetos da juventude, depois a gente vai se acalmando. E o Fortunatti… eu sei que é dos nossos! Tem boa índole, tá sempre ali na Zero Hora, fala bonito, é comportado. Dizem que na faculdade era um grande covarde, mas isso é papo de comunista. Nós temos é que executar a lei antirruído sexual! Dá pra fazer sem ruído, rapidinho, que ninguém note… agora, essa gente quase todo dia fazendo isso?! Coisa de desocupado! Espero que a sociedade se sensibilize. Eu sei que a imobiliária também vai tomar suas providências. E ainda vieram reclamar pro síndico que já foram três multas para elas e não multaram o cara que toca o som alto!

Essas pessoas têm que pensar na questão moral. Nós temos que manter uma moral, é o que espero de você, que tem seus filhos, e você, que vive num prédio. Eu sei que é raro ouvir um barulho sexual. O pessoal é bem educado. E eles… eles têm uma seita por ali que diz que quem não querer barulho (nem sexo) é coisa de morto. E eu já digo que é uma coisa da pessoa que tá em paz: chega um momento na vida que você sente uma paz. Pode ser parecido com o cemitério, mas é só parecido. O silêncio é que é igual. Pode olhar: a gente caminha, anda… só ri lá de vez em quando, mas a gente caminha. Sexo é bom lá na juventude, assim… e sem muito barulho! Espero que todos vocês se juntem num abaixo assinado. Onde é que já se viu? Então, gente, vamos parar com isso. Eles querem tudo isso aí, mas eu só quero terminar meu trabalho, me aposentar e depois vou morar numa praia, pescar todo dia, comprar uma SKY com 1485 canais e vou ficar tranquilo ali. Então, esperamos teu apoio pra isso: contra o barulho sexual.

P.S.: Eu sou obrigado a escrever um texto assim porque eu fico chocado! E o pior de tudo é que é gente jovem que reclama de barulho sexual. Eu sei o porquê: porque devem estar com seus parceiros e não têm tesão neles. Ficam loucos quando escutam barulho sexual porque lembram que a pessoa tá viva. Eu prefiro mil vezes dormir com sons sexuais do que barulhos de tiro, cachorro, televisão, brigas… mil vezes! O sexo e a energia do sexo reverbera pra todo mundo que tá em volta. Principalmente com pessoas vinculadas ao coração. Provavelmente as pessoas que estão brabas devem gostar de frequentar puteiros… Eu aconselho essas moças a não pagarem essas multas, a processarem essa torpe. A gente vai auxiliar a processar o síndico, o proprietário do apartamento e tudo mais por crime ecológico: estão tentando destruir a natureza humana! É mais grave do que desmatamento porque depois que o ser humano perder seu prazer e sua alegria, pode explodir o planeta, porque não serve pra mais nada.

 

Imagem cortesia Carlos Latuff

Suas safadas! Vão para um psiquiatra ou para um padre!

latuff

Por Prem Milan

Onde é que essa gente pensa que está? O que eles querem da vida?

Nós, que acordamos toda maldita manhã e vamos para os nossos trabalhos, pagamos nossos impostos em dia (com desconto, quando dá) e agora nem multa mais temos no carro para ter desconto. Nós, que frequentamos shoppings, cinemas, restaurantes. Nós, que respeitamos uns aos outros, criamos nossos filhos, levamos eles a faculdades, garantimos que terão bons trabalhos, bons empregos. Nós, que sacrificamos a vida inteira para construir essa vida! Nós, que fazemos ainda mais sacrifícios para ter as nossas televisões de LCD, compramos colchões modernos e à noite não podemos dormir sossegados tendo que ouvir umas vagabundas gemendo, gritando! Como ousam? As brigas lá do terceiro andar ainda vai, ainda passa! Aquele desgraçado daquele cachorro a gente atura, aquela televisão alta também faz parte. A música idiota que aquele cara ouve, sim! Aquele cara batendo na mulher ou nos filhos regularmente. Agora, barulho de sexo?! Nós não suportamos!

Vou pedir pro Fortunatti fazer uma lei pra cortar o clitóris dessas mulheres porque é um absurdo ter que nos lembrar todo dia que existem esses gemidos! Enquanto a gente se fode, essas pessoas tendo prazer? Que ódio!

São mesmo umas mal educadas. Eu tomo meu antidepressivo e não incomodo ninguém, nem a minha mulher. Pelo amor de deus, síndico, triplica a multa! Só cento e vinte reais? Eu tive que passar o dia inteiro pensando que eu tinha que praticar esse tipo de coisa que, só de pensar, eu já fico em pânico. Então fui ao meu psiquiatra e ele aumentou a dose. A que ponto chegamos!

E essas gurias vieram reclamar de uma multa às quatro da tarde! Veja bem, em pleno horário comercial e elas praticando sexo! Ora, de tarde, quando a gente quer, tem uns inferninhos, tem um ali na Demétrio Ribeiro que eu conheço, tem outro ali na Câncio Gomes. Agora, num prédio familiar, praticar sexo? E nossas crianças ouvirem aqueles barulhos? Prefiro que eles fiquem em frente à TV vendo tiros ou as granadas explodindo naqueles jogos. Pelo menos não vão se perverter!

Aí eu vou perder minha vontade de trabalhar – e eu tô lutando pra completar 35 anos de trabalho pra poder me aposentar e (aí, sim!) curtir a vida. Tá certo que eu tô velho, mas inventaram o viagra e isso é uma tecnologia que vai nos ajudar. E a nossa sociedade ainda é bem organizada: nós, através do síndico, conseguimos chegar ao dono do apartamento e vamos expulsar essas vadias. Ah, vamos! O silêncio cristalino e purificador vai permanecer no prédio. As nossas crianças não vão ter de lembrar que existe esse tipo de coisa e nem nós porque isso aí tira o foco do trabalho, tira o foco da família. Se quer ter prazer, vá a um bom espetáculo: agora tem Porto verão Alegre! Belos espetáculos de teatro, música… vá a um bom restaurante, a gente pode indicar um. A gente sabe que o sexo é perigoso. Quando você tem mais experiência, você vê que aquelas coisas são ímpetos da juventude, depois a gente vai se acalmando. E o Fortunatti… eu sei que é dos nossos! Tem boa índole, tá sempre ali na Zero Hora, fala bonito, é comportado. Dizem que na faculdade era um grande covarde, mas isso é papo de comunista. Nós temos é que executar a lei antirruído sexual! Dá pra fazer sem ruído, rapidinho, que ninguém note… agora, essa gente quase todo dia fazendo isso?! Coisa de desocupado! Espero que a sociedade se sensibilize. Eu sei que a imobiliária também vai tomar suas providências. E ainda vieram reclamar pro síndico que já foram três multas para elas e não multaram o cara que toca o som alto!

Essas pessoas têm que pensar na questão moral. Nós temos que manter uma moral, é o que espero de você, que tem seus filhos, e você, que vive num prédio. Eu sei que é raro ouvir um barulho sexual. O pessoal é bem educado. E eles… eles têm uma seita por ali que diz que quem não querer barulho (nem sexo) é coisa de morto. E eu já digo que é uma coisa da pessoa que tá em paz: chega um momento na vida que você sente uma paz. Pode ser parecido com o cemitério, mas é só parecido. O silêncio é que é igual. Pode olhar: a gente caminha, anda… só ri lá de vez em quando, mas a gente caminha. Sexo é bom lá na juventude, assim… e sem muito barulho! Espero que todos vocês se juntem num abaixo assinado. Onde é que já se viu? Então, gente, vamos parar com isso. Eles querem tudo isso aí, mas eu só quero terminar meu trabalho, me aposentar e depois vou morar numa praia, pescar todo dia, comprar uma SKY com 1485 canais e vou ficar tranquilo ali. Então, esperamos teu apoio pra isso: contra o barulho sexual.

P.S.: Eu sou obrigado a escrever um texto assim porque eu fico chocado! E o pior de tudo é que é gente jovem que reclama de barulho sexual. Eu sei o porquê: porque devem estar com seus parceiros e não têm tesão neles. Ficam loucos quando escutam barulho sexual porque lembram que a pessoa tá viva. Eu prefiro mil vezes dormir com sons sexuais do que barulhos de tiro, cachorro, televisão, brigas… mil vezes! O sexo e a energia do sexo reverbera pra todo mundo que tá em volta. Principalmente com pessoas vinculadas ao coração. Provavelmente as pessoas que estão brabas devem gostar de frequentar puteiros… Eu aconselho essas moças a não pagarem essas multas, a processarem essa torpe. A gente vai auxiliar a processar o síndico, o proprietário do apartamento e tudo mais por crime ecológico: estão tentando destruir a natureza humana! É mais grave do que desmatamento porque depois que o ser humano perder seu prazer e sua alegria, pode explodir o planeta, porque não serve pra mais nada.

 

Imagem cortesia Carlos Latuff

Exame de consciência

imagens_para_reflexao_ii

Por Milan

A única coisa que me sobrou da religião, desses anos de repressão, limitações, sofrimentos, preconceitos… – a religião me fez muito mal, muito mal mesmo. E eu sei que a grande maioria da pessoas não dá muita bola para isso porque não tem nem noção da vida que tem. Como é que teriam noção do mal que causou toda essa repressão? – Mas enfim, a única coisa que prestou de todos esses anos de religião foi uma coisa chamada exame de consciência. Não me lembro direito, mas sei que tem uma oração, algum hábito na religião que tem o tal exame de consciência. E nesses últimos tempos não escrevi no blog para fazer esse exame de consciência comigo. Nada de religioso.

Eu parei para refletir sobre as coisas que penso. O porquê escrevo para um blog onde umas pessoas vão ler, vão ficar brabas, incomodadas. Para quê fazer isso? Será que não seria só entrar por um ouvido e sair pelo outro? Olho para vida e penso se o que eu faço acrescenta alguma coisa para minha vida e para a vida dos outros. Para onde eu quero  ir? Para onde vai isso tudo? Eu faço a reflexão. Não sou um ser autômato. Eu não sou um fanático do Osho. Eu amo o Osho e todo amor para existir qualquer senso de realidade, implica em uma ação, uma concretude. E é isso que eu faço para minha vida.

No final do ano, a gente tem a nossa gincana aqui na Comunidade Osho Rachana. Eu ficava olhando as pessoas durante a Gincana e a minha sensação é de que estava drogado. Era tanta emoção, tanta coisa bonita que a gente assistiu. Teatros incríveis, músicas sensacionais e bailantas que mais pareciam espetáculos da Broadway, mas uma Broadway com emoção, não com técnica. Uma beleza exuberante, uma vibração… algo muito impressionante. As vezes eu olhava e pensava assim: Será que eu não entrei num programa que tinha antigamente, a “Ilha da Fantasia”… Era como se fosse uma fantasia mesmo. Não parecia real o que estava acontecendo e se eu tentar descrever para você do mundo normal, você vai ter certeza de que eu tomei LSD. Só vendo para crer. E eu falo da capacidade humana. Da incrível capacidade que tem o ser humano quando ele solta as suas amarras, é algo estonteante, muito além do que você pensa ser capaz.

Num jogo de futebol da Gincanca, um cara fez um gol que eu passei um ano inteiro vendo brasileirão e nenhum gol daqueles não chegou a 10% da emoção que causou para aquela pessoa que fez o gol e para as outras que estavam torcendo por ela. As vezes eu acho que estou ficando louco, as vezes tenho que me beliscar. Mas será que estou louco mesmo ou esse mundo que está louco? Esse mundo que é muito doido. Será que Michel Foucault, Orson Welles não estavam certos? Como naquele filme com a Jane Fonda em que faziam pastilhas para as pessoas viverem.

Desculpa gente, mas eu fiquei chapado aqui no Cantagalo. Chapado de tanta beleza, de tanta gente bonita. Esse povo teve 4 noites de festa, de dança. Não teve a quinta porque eu falei “Stop, vamos deixar esse povo descansar”. Nenhum normal danca 10% do que essas pessoas dançaram sem estar bêbado, chapado. Inacrediteavel! Eu fico pensando o que um normal está fazendo no fim do ano. Eu me lembro do meu tempo. Eu nunca fui muito normal né… sempre tive uma anormalidade, graçaas a Deus. Eu me lembro que a gente ia numa galera entre 20 e 30 pessoas para a praia do Rosa e a gente zoeirava muito. Inventava teatro, inventava um monte de coisa. Fantasticamente eu me lembro que o Roberto Oliveira, num desses fins de ano, voltando da praia com as crianças, ele inventou que estávamos sendo atacados pelos vietcongs…. jogava bomba e todo mundo se camuflava e o pessoal se atirava total. Numa sanidade saudável! Aqui é assim! A gente brinca, a gente relaxa, a gente transa, a gente faz amor, a gente chora, berra. funções humanas!

O que tu fez no teu fim de ano? Não fique brabo. Apenas faça um exame de consciência da tua vida querido, querida. Quem sabe um pouquinho mais… faça um balanço sexual da tua vida. Se quiser, use a agenda do Namastê para te ajudar. Talvez você possa compreender um monte de coisa da tua vida e criar um novo caminho. Quem sabe? “Tente outra vez…. a água viva ainda está na fonte. Você têm dois pés para cruzar a ponte”. Faz um examezinho de consciência e um bom 2016!