Por que sexo mexe muito com a gente?

rdb_capitaofantastico

Por Milan

Cada vez que escrevo um texto sobre sexo o blog têm em torno de 8, 9 mil acessos. Já quando escrevo sobre amor ou outros assuntos,  os textos tem 3500 a 4000 acessos. O sexo mexe muito com a gente. Por que será? Apesar das imensas distorções que existem, como a pornografia ou a putaria. O essencial é que apesar das distorções o sexo traz para o corpo e de alguma maneira quando o corpo entra em ação há uma passagem na energia, uma quebra, uma possibilidade maior das coisas acontecerem. É muito mais provável que um cara que vive enlouquecido sexualmente se dê conta do que um padre ou uma freira. Apenas uma possibilidade maior. O sexo é obrigado a nos trazer para uma realidade mesmo que seja num pequeno momento. Mesmo que você viaje, que você transe fantasiando. Em algum momento você tem uma conexão com seu corpo. Você é obrigado a sentir seu corpo e ao mexer seu corpo você move uma energia interna que vai trazer sentimentos. Mesmo com toda essa loucura da sociedade, toda essa alienação, toda essa tentativa de eliminar o sexo, substituir pelo prazer oral da comida, por prazeres visuais ou intelectuais. Tem muita estimulação na sociedade para eliminar a sexualidade. Shows, teatro, espetáculos. Não sou contra, mas muito a sociedade tenta eliminar a sexualidade. Não conheço nenhuma peça teatral que chegou perto de uma grande noite de amor. Veja bem, sexo com coração. Para mim é muito tranquilo saber que isso é superior, mas aquilo que é superior não elimina o outro. É uma forma de prazer mais profunda. O sexo envolve dois seres numa profundidade, numa intimidade entre duas almas. Eu, por exemplo, fui a shows que me tocaram profundamente, que não esqueço jamais. Só que quando você substitui todas essas coisas pelo essencial, que é a sexualidade, principalmente vinculado ao coração, é que a coisa começa a ficar louca.

Você diz que transa, mas é mentira, pura mentira. Se você quer ser honesto contigo escuta seu prédio e calcula quantas pessoas transam, fazem amor. Esse barulho deveria ser o maior que existe. Os prédios devem ter uma placa de isolamento acústico para evitar esse barulho, para as pessoas não ficarem constrangidas com isso. Para evitar essa vergonha. Só pode! Você não chega no trabalho dizendo que transou, nem que teve muitos orgasmos. Só ouve os homens pelos cantos, aquele monte de homem num papinho machista: “Comi uma gata do caralho”, a própria expressão já é podre. Tá muito claro que a sociedade não quer isso. Não quer nossa felicidade. O que seria das farmácias, dos médicos, dos restaurantes, dos advogados, dos sei lá mais o quê se as pessoas fossem felizes. Se você está satisfeito sexualmente depois de um orgasmo você está sensível, você sai na rua e não vai aguentar aquela barulheira,  cheiro de fumaça, prédios feios, as calçadas feias, nada de natureza. A sociedade continua num intuito desde os conquistadores que querem dominar os selvagens, querem domesticar. O sexo está absolutamente vinculado ao nosso lado selvagem. Se você deixar um animal preso ele vai ficar deprimido ou enlouquecido. Se você reprimir a sua sexualidade você vai ficar enlouquecido ou sem energia. São as leis da vida.

As distorções sexuais existem. Você vai ter que passar por elas. Eu, tu, ele, nós, vós, eles. Todos nós fomos criados numa sociedade repressora sexualmente. Todas as distorções estão aí, mas a semente essencial também. As cascas, as crostas que colocaram em cima da semente, não eliminaram a semente. Você tem que limar essas crostas. As pessoas, muito por desconhecimento, por não ter nenhum ponto, nenhum lugar, onde as pessoas estejam interessadas em resgatar profundamente a sexualidade acabam tentando tudo que é jeito porque existe um desespero. Em algum ponto, até celular, na tua memória, deve ter um momento de sexualidade que você sentiu uma conexão maior com teu coração, com a sua pessoa. Ora, se você quer viver dentro da sociedade, então vive. Você está vivendo. Você já está. Você acha bom? Então tá. Você acha satisfatória? Então tá. Eu não acho nenhum pouco satisfatório. Eu gostaria que você se ainda tem olhos para enxergar e se ainda tem um pingo do seu coração pulsando, eu gostaria que você assistisse ao filme “Capitão Fantástico”, por  favor vai ver esse filme. Vamos colocar um link por aqui para você entrar direto no filme, mas vê mesmo, de verdade, com honestidade, é muito incrível. Todas as pessoas que viram esse filme me dizem que fez muito bem, que refletiu muito. É óbvio que não deve estar em nenhum cinema. Acho que nem vai estar. Não há interesse nisso. Você deveria ter um profundo interesse. Você vê tanto filme, você está tanto tempo na internet. Assiste esse filme e você vai ver contra posições e questões a respeito.

Nós não temos uma meta, eu não tenho um objetivo. Eu estou apenas tentando desmanchar tudo que não é natural em mim porque eu sei que daí vai brotar a minha naturalidade. Para aonde isso vai eu não sei. Eu confio na natureza. Como eu não vou confiar numa natureza tão sábia que criou seres incríveis. Quando eu olho para o meu netinho percebo como a criação humana é encantadora, absolutamente fantástica, desde nosso funcionamento mecânico, corporal. O corpo humano é uma perfeição do caralho. A natureza, as árvores, os pássaros, os ventos, as chuvas são coisas extremamente fantásticas. Não há computador que possa se comparar com isso. Acorda. Então a existência é muito sábia porque não podemos confiar nessa maravilha que é a existência? Você quer colocar o nome de Deus, Alá, qualquer coisa. Coloca o nome que quiser, inventa alguma coisa, mas olha o que é a naturalidade, é bela. A natureza é absolutamente bela. A loucura tem tantas forças que às vezes até fecha os nossos olhos. Não conseguimos enxergar, eu gostaria muito que você visse “Capitão Fantástico” porque ele é um estímulo para a luta de nos mantermos humanos, de nos mantermos sensíveis, de não desistir, de não deixar ser levado pela maré, de não deixar ser levado pela onda. Ser um ser que tem autonomia, que tem ainda uma capacidade de se autogerir.  A sexualidade é um ponto fundamental para manter viva essa chama do selvagem. É tão óbvio para compreender isso. Você nasceu de que afinal? De que você nasceu? Qual a sua origem? Sua origem não é um ato sexual? Essa energia sexual está por todo o seu corpo, toda a sua pele, cada membro, cada osso, está no DNA, como todo mundo gosta de falar, está no DNA. Inegável. Essa é a grande possibilidade, da sua reconexão de quebrar todo o congelamento. Todo o automatismo. Não desista, nem de você, nem dos outros. Existem muitos caminhos. Não desista. Eu suplico a sua humanidade. Veja “Capitão Fantástico”. Você vai poder comparar. Se ver junto com os amigos, melhor ainda. Se isso te tocar, saiba que no Namastê tem muito, muito mais.

Não vamos nos entregar de jeito nenhum!

Faça download do filme neste link: https://drive.google.com/file/d/0B9l4FMReMGLQUmxYczVXa3p1dUE/view

Anúncios

2 comentários sobre “Por que sexo mexe muito com a gente?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s