Mamãe, eu quero mamar!!!

Resultado de imagem para homens infantis

É… me dá chupeta, me dá chupeta pro nenê não chorar.Parece que os homens viraram isso. Eu falo com muitas mulheres e todas tem uma queixa muito forte com a regressão masculina. Ou o cara vira um bebê retardado, ou um cara rígido e fechado que não deixa tocar o coração. É muito forte isso. E o que é que se ganha com isso? Nada! Ganha alguma coisa? Uma pseudo segurança? Aí os secos e rígidos ficam numa postura arrogante com as mulheres regredidas e retardadas do lado suplicando uma migalha. Isso faz bem pra alguém?Faz bem pra ti? Você gosta de alguém nessa postura? E os regredidos ficam na posição inversa com as mulheres. Será que em algum momento você percebe que isso não traz felicidade? Que uma relação sexual nesses termos ela vai precisar de loucura pra ter alguma força, uma potência. Então a gente investe é na loucura, na insatisfação.

Eu trabalho com terapia há trinta e dois anos. Nunca vi os homens tão desconectados e com tanto medo de mexer com qualquer coisa sua. Mas qualquer coisa! Parece que é um desespero enorme. E pra mim é um baita rolo com a mãe que os homens têm, mas um baita rolo com a mãe. Apesar de negarem, se acharem, entende. É um absurdo o rolo que tem com a mãe, mas um absurdo muito grande. Os homens não conseguem ser homens com uma mulher, entende. Não conseguem confrontar, não conseguem falar uma coisa, dizer sim, não. Não conseguem se entregar no amor, não conseguem se apaixonar, se envolver. É uma regressão absurda! Chega a ser ridículo. E é um rolo que você tem que olhar lá com a tua mãe, o que é que aconteceu. Eu sei muito bem como é isso. Cara, a minha mãe era foda. Ela me baixava a borracha, limite estreito, era muito foda. Cara eu já meio que to, meio absurdo, mas eu já to agradecendo ela por não ter me criado um bunda mole desse tipo. Eu tenho atrito, eu tenho gana, eu tenho vontade, eu consigo ficar puto com uma mulher e eu consigo amar elas também! Consigo me entregar de amor, consigo me derreter. Claro que tive um monte de consequências ruins, me criou uma rigidez.

Mas cara eu não sei o que acontece com os homens entendeu. Homens com quarenta e poucos anos já desistiram! Desistiram do sexo, desistiram de tudo. Parece tudo um bando de aposentado, todo mundo meio aposentado. Todo mundo meio sem graça, meio deprimido. Eu fico olhando e penso, mas qual é que é o problema cara?Qual o problema? Por que a gente não vive o amor entendeu? Tu tem medo que uma mulher vai te machucar? E ai? É obvio que vai! Se tu ama vai ter dor também. Mas qual é o problema com a dor? Criança que não aguenta a dor! Criança que não suporta a dor. Aí a criança tem que fazer qualquer coisa pra parar de doer. Então ele vai obedecer a mamãe, prometer ser um bom menino, legal, querido. Mas isso é a criança. Quando é que tu vai querer virar adulto? Tu acha que vai virar adulto fazendo o que? Admirando o Renato Portaluppi? Eu sou gremista cara. E a única coisa que eu gosto no Renato é que ele deixa os colorados putos da cara. No mais, como pessoa. Bah meu, sai fora! Adoro futebol também. Mas sei que é uma parte infantil minha, regredida. Eu não faço disso minha vida.

Eu tenho que virar homem em várias situações. E principalmente no amor. Nós temos que virar homens. Homens!!! Homens com H! Foi o Ney Matogrosso que teve que cantar essa música. Homem com H. Eu não quero ser um coitadinho, com medo das mulheres. Ai…elas podem me machucar!Ai… não vou me envolver, ela pode me machucar, pode gostar de outra pessoa! E aí cara, tu também pode gostar de outra pessoa! Tu não quer dor! Vai pro cemitério, ali não tem dor. Morre já de uma vez então! A dor é inevitável. Mas a dor não é ruim. Um organismo vivo, ele sente dor, é um reflexo de quem tá vivo. Mortos não sentem dor! Então para de fugir! Eu conheço um monte de mulheres maravilhosas e os homens morrem de medo, só por que elas têm mais conteúdo. Essas mulheres com mais conteúdo, os homens se cagam. Mas eu, eu quero uma companheira que a gente possa ser igual e até ela ser mais do que eu. Por que isso vai me fazer crescer. Eu não quero alguém que tá lá embaixo de mim, que eu tenho que olhar pra baixo pra enxergar a pessoa. Não! Mas o que é que tu quer? Eu gosto de jogar futebol. Mas eu não gosto de ganhar uma partida por 5X0, 6X0, 7X0. Acho um porre, um tédio, não tem atrito, não tem graça. Igual com uma mulher. Eu quero alguém que é parelho comigo entendeu? Que ela me ponha em risco e eu coloque ela em risco também. Ai nós vamos crescer juntos. Atritos, criação, uma beleza toda grande. Por que a gente está fazendo essa opção pequena? Sabe? Opção pela pobreza?Opção por pouquinho. Por ter quase nada. Porra! A Elis cantou Como nossos pais há trinta anos atrás. Apesar de termos feito tudo o que fizemos ainda somos os mesmos e vivemos como nossos pais. Nós vivemos como nossos pais, apenas com uma decoração diferente. Continua sendo um valor o que? É ter um apartamento, uma casa, uma aposentadoria boa pra quando tu ficar velho tu viver. Quando tu ficar velho é que tu vai viver né? Vai naquelas excursõezinhas da CVC, com aquelas bolsinhas brancas assim. Olha, é o tédio aquilo! Bah meu! Eu quero morrer vivo! Eu quero envelhecer tendo energia, tendo garra, tendo experiências pra contar, podendo ter trocas e não esperando a morte chegar, como disse o Raul Seixas. Esperando a morte chegar num apartamento ou numa casa da praia, numa casa do Campo, esperando a morte chegar. Não meu! A morte vai ter que me achar, por que eu tô a milhão. Sabe como é que é?

Vamos virar homens, ou não? Vamos fazer a nossa parte? Eu tive que entrar fundo nas minhas questões, da insensibilidade que eu tive que criar por causa da minha mãe, por causa da agressão dela, entende. E isso não foi fácil. Eu tive que chorar muito pra isso ai desmanchar. Agora tu vai ter chorar muito, expressar muita raiva, da bananice que tu ficou, da manipulação endende? Às vezes eu vejo os homens e eu tenho vontade de bater, sabe, dar um laço!Que porra meu!!! Os caras parecem débeis mentais! Porra tudo amamãezado, um bando de amamãezado! E as mulheres tem que ajudar nisso entende! Vamos sair desse amamãezamento! Colados na mamãe. Chega meu! Vamos dar um grito de liberdade gente, vamos virar homens, pra construir um mundo amoroso, pra gente poder amar e ser mais profundo. Tá na hora de ter coragem e parar de se cagar, de ter medo de tudo, de terapia, de meditação. Se tu não quer vir pro Namastê não precisa! Parece que o Namastê tem uns demônios lá dentro. Igual quando há trinta anos atrás diziam Ó os comunistas comem criancinha. Ó no Namaste, eles comem as guriazinhas. Ah, vai te catar meu! Tudo que é desculpa pra tu continuar sendo um amamãezado no teu BIG telefone, no teu BIG watsap, no teu BIG redes sociais. Curti! Tu é um grande crítico das redes sociais e nada no resto. Isso é uma convocação pra gente virar homem!

Por Milan

Anúncios

O orgasmo é uma ameaça à família

Por  Anandini

Uma sexualidade mais livre quer dizer uma vida mais livre. Mas quem realmente quer essa tal liberdade?

De acordo com pesquisa da USP deste ano, mais da metade das mulheres brasileiras nunca tiveram orgasmo. Isso me causou uma profunda indignação. É um número absurdo para tantos gritos de liberdade que ouvimos por aí. Isso só me faz acreditar que não queremos ser livres, queremos aparentar, ser a imagem, não o conteúdo. Há mulheres que ainda hoje priorizam o prazer masculino antes o próprio prazer. Fingem sentir orgasmo e até mesmo nem se importam se sentem ou não. Desconhecem a potencialidade dos seus corpos e acabam cultivado o corpo para mostrar, não para gozar. A sexualidade é um dos pontos mais sensíveis da vida humana, o critério fundamental para se avaliar a qualidade de vida de uma pessoa. Sexo é vida, e vida também é sexo. Mas que importância damos para isso?

A educação sexual das mulheres é carregada com valores repressivos. Sim, ainda nos dias de hoje. Desde pequenas somos doutrinadas em casa e na sociedade a nos comportar se não vamos morrer sozinhas, sem o tal marido. Respeitemos sempre aquele grande homem que é quem devo todo o meu valor. Sem ele ficamos mal ditas, mal faladas e fadadas ao fracasso. Pode ficar irritada, mas isso acontece nos bastidores da sua mente. E se você não lidar com esses pano de fundo de forma consciente, afirmo que com certeza: sua sexualidade nunca vai ser plena. A vida segue e nem o homem ganha com esse repressão sexual feminina. O mundo inteiro perde. Viramos seres reféns de uma insatisfação de vida constante que aliviamos no consumo enlouquecido ou na desconexão com os meios digitais.

Problemas sexuais podem ser sinal de outras doenças, e dificuldades de sentir orgasmo levam à angústia, à frustração e até mesmo à depressão e à morte, se não morrida de fato, mas a morte em vida, o que é muito pior. A falta de informação e o medo, ou até a vergonha de se descobrir, reprimem as mulheres. Nem se masturbar as mulheres conseguem. Já passei temas de casa para clientes que nunca tinham se masturbado, isso com mais de 25 anos. Se não temos permissão de tocar nossos próprios corpos como vamos avançar e tocar outras pessoas de verdade, com totalidade?

Os efeitos após uma noite de sexo satisfatório são instantaneamente visíveis, a mulher se sente mais bonita, mais poderosa, mais preenchida, satisfeita e mais amorosa. Mas isso é um perigo para o marido e para o capitalismo. As mulheres são as maiores consumidoras, imagina quanto o comércio pode perder com sua satisfação sexual? E os homens? O que vão ter que fazer se não tiverem mais mulheres fazendo tudo por eles? Vão ter que deixar de ser filhos da mãe e virar adultos. Buscar a sua própria satisfação sexual, que também é comprometida. Uma vida sexual favorável implica questões sociais, valores de vida que temos hoje.

O orgasmo é uma ameaça à família, à igreja, ao congresso, ao comércio e a todo o sistema que construímos hoje. Uma arma revolucionária a favor da liberdade. Mesmo com tudo disponível hoje em dia para sermos donos de nossos corpos, ainda há uma repressão intríseca que impõem a vida sexual essa série de dificuldades. O que observo é que a bioenergética é uma ferramenta que ajuda a curar essa enfermidade. Vejo em meus clientes mudanças significativas em suas vidas. Melhoras na sua vida sexual se expandem para realizações com amor próprio, poder pessoal, auto estima, capacidade de realizar projetos, conquistar coisas. E você? Quer sua liberdade?