Pobre é Quem Precisa Muito – Parte II

camping

Por Prem Milan

 

Então é hora de olhar pra vida, é hora de você olhar pro conteúdo. Estão nos esvaziando de conteúdo. O sistema tá nos criando de um jeito tal, que a gente não só tá vazio de conteúdo, como de capacidade corporal, de capacidade emocional, de capacidade de amar, de capacidade de discernir as coisas.

Nós estamos virando burros, nós compramos ideias repetidas n vezes na internet, sabe? Os caras repetem mil vezes coisas. Agora, quando eu vi a Folha de São Paulo ser chamada de jornal comunista, eu olho e digo “My God!”. A Folha de São Paulo baixava o pau no Lula pra cacete, ela virou comunista? Gente, é uma burrice extraordinária. E eu não digo que a Folha não tinha razão em certos paus que baixava no Lula, agora dizer que ela é comunista? Agora o Jornal Nacional deve ter virado comunista! Gente, isto é piada. Isto é uma piada, mas vai repetindo mil vezes a ideia e a burrice fica.

Porque o sistema que tá aí quer mostrar só o fake news deles, quer que você fique bitolado e só veja os fake news deles, aquelas bobagens e mostrando um monte de coisa, como o exército trabalha, como o exército faz coisas. Gente, pelo amor de deus! Os caras fazem o que o dia inteiro? O que os caras fazem o dia inteiro, me diz? E eles ganham salário, o que eles fazem? Eu acho que eles deviam fazer um monte de estrada, no mínimo. Agora, como herói, não, me desculpe, me desculpe. Herói porque ajudaram lá em Brumadinho, mas então, os caras ficam anos recebendo salário, em algum momento eles tem que dar algum retorno, né? Sabe? Mas não to querendo brigar com milico, nada, também são seres humanos, aqueles soldados. Mas eles estão condicionados por uma ideia, nós estamos condicionados por uma ideia também, a mesma ideia consumista. Consumir, consumir, consumir.

Esse é o grande sistema que se criou, os presidentes, os deputados, são pequenas engrenagens desse sistema, e esse sistema sim que consome muito dinheiro, que tem muito, muito dinheiro. Mas muito dinheiro mesmo, entendeu? Bilhões e bilhões. E eles são muito infelizes né, eles são muito infelizes.

Aquele que não consegue dar é muito infeliz.

Eles acham que eles estão ajudando os outros, explorando cada vez mais, sabe? “Ai, to dando emprego pra eles” HAHAHA!  Tu tá vendendo para criar mais e mais miséria, é uma fábrica de criar miséria com seus lucros astronômicos. E a humanidade onde é que está? A humanidade onde é que está? Então eu fiquei muito encantado vendo um videozinho de um minuto e meio com o Pepe Mujica. Eu tinha assistido o filme dele e já tinha me admirado pelo cara, e é um cara muito de se admirar, perto desses medíocres que foram presidentes em toda America Latina. Não, o Pepe ia trabalhar com o Fuquinha dele. Ninguém nunca falou isso né? Por que não interessa, não interessa. Imagina, um presidente de Fusca, indo trabalhar de Fusca e quando ele saiu do governo foi de Fusca e continua com seu Fusca.

Como é que se explica isso? Não da né? Então, esqueça-se. Mas é uma figura que eu gostaria que vocês vissem, mas eu não quero pra você se posicionar politicamente, eu quero pra você olhar pra sua vida. Olhar pra sua vida e não cair nesse conto do consumo, nesse conto de precisar tanto, tanta coisa. Tudo que eu queria do meu pai era poder ter brincado muito mais do que ele, do que ter tido tudo aquilo que ele construiu. Nunca me adiantou muito as heranças, não me adiantou grande coisa.

Agora, eu sinto muita falta de ter jogado futebol com ele na praia, de ter tomado banho de mar com ele na praia, de no dia-a-dia ter brincado mais com ele, sabe? Isso sim eu sinto muita falta, apesar de que teve alguns momentos em que ele brincou comigo e, esses são preciosos, que eu guardo lá no fundo do coração. Os momentos mais lindos, sabe? Mais lindos, quando meu pai era apaixonado por um clube de futebol da cidade, que ele ia todo enfezado e eu ia ali junto, sabe? Era uma alegria incrível, agora hoje, toda essa tecnologia, toda essa televisão muquirana.

Mas eu tenho uma novidade pra você, eu gostaria de ganhar na Mega Sena, muito dinheiro, sabe pra quê? Eu nunca vi o que eu vou promover, acabar com a miséria não vai. Eu ia fazer o maior campeonato amador do Rio Grande do Sul porque eu ia resgatar muita alegria de toda cidade. Isso é um sonho que eu tenho. Criar de um jeito que todas as cidades voltassem a ter seu time de futebol, em uma disputa onde a cidade participaria, e aí nós íamos parar de ficar colados nessa maldita televisão, pra ver os Luan, D’Alessandro, não sei o quem lá, os Neymar, gente nojenta, Messi, tudo nojento ganhando milhões e com papo de coração. Coração crivado de milhões, isso aí não é coração, isso aí é prostituição.

Eu gostaria de ver o time lá da minha cidade, o Guarani de Garibaldi, o Juventude. Ai que saudades de um GuaJu! Ai que coisa mais linda, e todo aqueles times, os times de Carlos Barbosa, na minha cidade também tinha o Lajeadense, os times do interior. Tinha um campeonato que eu me lembro que também tinha uma taça imensa e vinham todos os times de todas as colônias, era muito bonito toda aquela gente jogando, e era um futebol bonito de gente com vontade, de gente que trabalhava, de gente que é gente. Isso que tá faltando: gente que é gente.

Então esperem! Eu continuo jogando na Mega Sena para, um dia, fazer o maior campeonato amador do planeta! Entendeu? Ia recuperar a alegria de um monte de cidades e recuperar a alegria é fundamental para as pessoas serem mais felizes e viverem mais. Então me aguardem! Torçam pra eu ganhar na Mega Sena! Torçam! Que todo dinheiro eu vou botar nisso daí.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s