Transar te deixa consciente do quanto sua vida é chata

IMG_6076 copy

Por Anandini

Hoje atendi uma cliente que tinha travado a lombar e não conseguia andar. Foi do nada, se vestindo para ir trabalhar, sentiu uma dor e ficou completamente imóvel. Não entendia porquê. Conversando com ela, relembrando os últimos dias, foi chegando a conclusão que tudo estava ficando legal na vida. Estava transando mais com o namorado, ganhando mais dinheiro, chegando no ponto para ter a grana que precisaria para realizar um grande sonho na vida, de se mudar e morar num sítio. Nesse momento, “do nada”, sua lombar travou e começou a questionar que estava trabalhando demais, que não valia à pena, que tinha que ficar mais quieta e não se mover tanto, que o emprego antigo nem era tão chato e que a casa que morava até que era legal. Ah, e que o namorado queria transar demais. Tem dois anos que estou atendendo com bioenergética no Namastê e tenho várias histórias semelhantes para contar. É impressionante que tudo que nos faz mexer com a nossa vida, que nos deixa incomodados com a miséria que vivemos, damos um jeito de parar com aquilo.

O prazer incomoda porque te deixa consciente da nossa pobreza, de como nossa vida é medíocre, de como nossos pais, amigos, as pessoas que conhecemos e vemos por aí vivem uma vida miserável. Para não sentir isso, não lidar com esse contraste, escolhemos acabar com qualquer coisa que nos traga esse incomodo. Transar é o primeiro deles. O sexo mexe com nosso corpo, com nossas emoções, nos traz para a realidade, para um prazer intenso e profundo. Nos deixa mais preenchidos, nos sentindo mais bonitos, nos faz conectar com nosso instinto. Imediatamente começam a brotar frutos na sua vida e um maior senso de realidade. Vai começar a questionar a sua relação, o seu trabalho, o lugar onde mora, o que come, a forma em que você vive, que seus amigos e conhecidos vivem, como seus pais te criaram, como a sociedade se constrói. Cada sensação de liberdade, de prazer, vai te lembrar de quanto vive enjaulado, de quanto sua vida não tem alegria e para não lidar com essa sensação é melhor ficar no mais do mesmo.

O problema é que nunca estaremos satisfeitos, nunca seremos seres humanos completos se não embarcarmos nessa busca pela verdade, pela realidade, pelo desejo de romper e se transformar. A natureza humana nos leva para este caminho. Podemos reprimir esse desejo com celibatos, substituir por comida, dinheiro ou poder, desviar para espiritualidade, mas no fundo, você sempre vai sentir que alguma coisa está errada. Criamos um mundo que nos mantêm desconectados e distantes para esquecermos dessa insatisfação, da nossa busca, da nossa essência. Estamos preenchendo com salas de bate-papo online, cardápio de homens e mulheres no tinder, whatsap a cada 5 minutos, compras no shopping, viagens de roteiro turístico que todo mundo faz igual, trabalho 24 horas por dia. Vamos distorcendo nossa essência a tal ponto que essa escravidão é considerada atrativa. Tenho certeza que você consegue enxergar isso na sua própria vida. Como sair dessa sansara? Comece vivendo.

Tudo que nos traz para o corpo, transar é um delas, nos conecta com a realidade, com as emoções e te leva para um estado de felicidade, mas ser feliz hoje em dia é um ato de coragem. Você vai ser o diferente, o louco, vai incomodar as pessoas, causar desconforto. Talvez tenha que terminar um relacionamento, trocar de trabalho, se mudar ou talvez não tenha que fazer nada, apenas conseguir parar. Todo mundo tem um desafio. Aceite o seu.